www.falandodetrova.com.br/acrodrigues

 

ANTONIO CARLOS RODRIGUES  nasceu no dia 04 de dezembro de 1948, filho de Domício Azevedo Rodrigues e Dalila Gonçalves Rodrigues. Era filiado à UBT São Gonçalo/RJ. Além de trovador, habilidoso sonetista.
Deixou cinco livros publicados: Primeiros Versos, Canto da Dor, Nós, Musa, tu és Mulher e Trovas do meu Coração. Falecido em São Gonçalo, no dia 29 de março de 2017.

Depois que abriste a cortina
do teu olhar! Que esplendor!
Vi nesse verde, menina,
uma esperança de amor!

Quando tu passas dengosa,
quanta maldade pressinto!
Mas falta ousadia, Rosa,
para dizer-te o que sinto...

Para que tanta igualdade
nesta partilha de amor ?
Fique com tudo: A saudade,
esta tristeza e esta dor.

Madrugada. Desalento...
Pois te amar é meu castigo.
Acordado, és pensamento.
Se durmo, sonho contigo!

Eu tenho uma multidão
de mulheres aos meus pés.
De que adianta? Não são
metade do que tu és!

A mulher comete um crime
se aborta o filho que traz.
Porém ninguém a reprime
se é o méedico quem faz.

"Quer o povo proclamar",
que proclame o que quiser,
mas me deixe declarar
meu amor a esta mulher!

Rosa mulher foi aquela...
como a rosa tão formosa.
E como viver sem ela?
E sobreviver sem rosa?

A timidez tem limite
tenha você ou não dote.
A minha, se me permite,
terminou no seu decote.