ADERBAL MELO teve uma passagem muito rápida pela vida. Nascido em Recife no dia 04 de junho de 1910, filho do escritor Mário Melo, faleceu na própria capital pernambucana no dia 09 de abril de 1931, com apenas vinte anos de idade. Ainda assim, a tempo de lançar um livro com título bem sugestivo: "Trovas".

Quanta tristeza em transporte...
Quanta saudade incontida...
Viver - pensando na morte,
morrer... pensando na vida!

Não teme a morte temida
quem na vida não tem sorte.
- Há tanta morte na vida
e há tanta vida na morte!

Não há tristeza mais triste
que ser triste na alegria...
Muita gente não resiste
a tanta melancolia.

Por mais que eu viva desperto,
meu porvir não descortino;
o destino é tão incerto,
que também não tem destino.

De tal modo a conveniência
na sociedade figura,
que pensar com independência
não é virtude, é loucura.

Sofre? Nos olhos tem água.
Chora? - também é tristonho:
Traz um pranto cada mágoa,
cada pranto - leva um sonho.