ALBERTO FERNANDO BASTOS,  filho de Fernando Gomes Bastos e Etelvina Bastos de Oliveira, nasceu no Rio de Janeiro em 03 de setembro de 1921. 

És feliz? Não digas nada.
Goza em silêncio o teu bem,
que há muita gente empenhada
em não ver feliz ninguém!...

Uma sombra - uma inquietude -
lembra-me, agora infeliz,
o bem-fazer que não pude
e o bem que pude e não fiz.

Num contra-senso, é verdade,
- pois vazio é sem valor -
o vazio da saudade
encheu minha alma de dor!...

É na renúncia que a gente
salva, mesmo em retirada,
de uma derrota iminente
o tudo de um quase nada!

Teus ideais, que eram puros,
meu velho pai, meu amigo,
era sonhos prematuros
que agora vivem comigo!...

Tendo a prata em meus cabelos,
ó mamãe, com que carência,
sinto a falta de teus zelos
e infinita a tua ausência!...

A vida é como uma estrada
que seguimos, sem saber
se já está perto a chegada,
ou se há muito a percorrer...

Passam-se os anos na vida...
Com pesar, hoje profundo,
vejo-me pedra esquecida
pelas estradas do mundo!...

O parecer que resumo,
com pesar foi descoberto:
- O que parece bom rumo
não é sempre o rumo certo...

Quando o batel desta vida
se érde, e o mar se enfurece,
descubra a rota perdida,
buscando o rumo na prece.