A. J. PEREIRA DA SILVA: Sua data de nascimento é controversa. Fala-se em 9 ou 12 de novembro de 1877. Porém, pelos registros do livro de assentamentos nº 04, folha 114 , de Araruna/PB, a data correta é 06 de novembro de 1876, tendo sido ali batizado em 12 de março de 1877. Filho de Manoel Joaquim da Silva e Maria Ercelina Pereira da Silva. Uma vida extremamente sofrida. Aos quinze anos mudou-se com a família para o RJ. Patrono da cadeira nº 34 da Academia Paraibana de Letras, foi eleito para a cadeira nº 18 da Academia Brasileira de Letras no dia 23 de novembro de 1933, cuja posse se deu em 26 de junho do ano seguinte. O discurso saudatório foi feito por Adelmar Tavares. Morreu em 11 de janeiro de 1944, à s 18 horas, na Clínica São Vicente - Gávea, e foi sepultado no cemitério São João  Batista. Muitos livros editados. o primeiro: "Vae soli (1903) e o último: "Alta Noite (1940).
     Na Trova, Luiz Otávio e Pereira da Silva conheceram-se em uma estação de repouso, em Pati de Alferes, e tornaram-se inseparáveis amigos. Pereira da Silva foi o elo de ligação entre Luiz Otávio e Adelmar Tavares.     

(livro "Meus Irmãos, os Trovadores", trova nº 125)
Ei-lo de todos os casos,
o mais estranho do mundo:
- como nuns olhos tão rasos,
cabe um olhar tão profundo!

......................................................

Dados biográficos:  http://www.casadamemoriaararuna.com/pereiradasilva.htm