www.falandodetrova.com.br/aldapereirapinto

      ALDA PEREIRA PINTO, filha do Gªl. Augusto Feliciano Pereira Pinto e de Carolina Pereira Pinto, nasceu no Rio de Janeiro em 18 de julho de 1919.
Pianista, cantora, atriz lírica, radialista, teatróloga, professora e, nas horas vagas, trovadora. Foi ainda diretora do Instituto Villa-Lobos. Fez parte da UBT Rio de Janeiro.

Eu quisera ter dez filhos,
quinze, vinte, trinta ou cem.
Contanto que os meus cem filhos
fossem teus filhos também.

Quem pensa que santidade
é ter rosários na mão,
não sabe que a caridade
é a verdadeira oração.

Daquele a quem hoje dás
almoço, janta e café,
amanhã receberás
um tremendo pontapé!

No seu macróbio sadismo,
a impertinente velhice
se casa com o reumatismo
e dá luz à rabugice!

Seu olhar tem tanta vida
e calor, que o cozinheiro,
para aquecer a comida,
não acende o fogareiro.

Sempre que existe uma cena
de ciúme entre nós dois,
eu juro que vale a pena
o beijo que vem depois.

Se pelas mãos eu chorasse
a dor do meu desengano,
talvez o pranto alagasse
as teclas do meu piano.