X JOGOS FLORAIS DE AMPARO – 2000

ÂMBITO NACIONAL = TEMA “NATUREZA”

VENCEDORES (por ordem de classificação)

Grassa o inverno... E a natureza
se agasalha, enquanto espera
para eclodir, em beleza,
nas flores da primavera!
ALMIRA GUARACY REBELO – Belo Horizonte

A natureza, no outono,
trouxe a noite peregrina
que se agasalhou, com sono,
num casaco de neblina.
DJALDA WINTER SANTOS – Rio de Janeiro

A natureza hoje chora
a cruel devastação
que faz o verde ir embora
e veste de cinza o chão!...
SONIA MARIA DITZEL MARTELO – Ponta Grossa

Na intransigente defesa
de sua imutável Lei,
pune igual a Natureza
tanto ao plebeu quanto ao rei.
WALDIR NEVES – Rio de Janeiro

Tão agredida – e indefesa! –
por não lhe ouvirmos a voz,
chora, agora, a Natureza!
Depois, choraremos nós...
JOÃO FREIRE FILHO – Rio de Janeiro

MENÇÕES HONROSAS (por ordem alfabética)

A cascata com grandeza
- numa emoção abissal –
brinda toda a natureza
com champanhe natural!
CONCHITA MOUTINHO DE ALMEIDA – Poços de Caldas

Nas auras da Natureza
e em seus primores fecundos,
vislumbro Deus... e a certeza
da eternidade dos mundos!
JOÃO FREIRE FILHO

Num bailado de magia
sobre as flores de alfazema,
a borboleta escrevia
à natureza um poema!
JOSÉ HENRIQUE DA COSTA – Magé / RJ

Sobre a rocha a planta medra,
e a natureza vem pôr,
em breve, na dura pedra,
a maciez de uma flor!
JOSÉ TAVARES DE LIMA – Juiz de Fora

A perfeição que revela
nas flores tanta beleza,
mostra que é Deus quem pincela
nas telas da natureza.
WANDA DE OLIVEIRA MARTINS – Juiz de Fora

MENÇÕES ESPECIAIS - (por ordem alfabética)

Desde a bela espiga loura
ao pão que enriquece a mesa,
procede toda a lavoura
de nossa mãe natureza.
ADILSON MAIA – Niterói

Cai a chuva... E na tristeza
da lembrança que me invade,
eu sinto que a natureza
chora, também, de saudade...
ALMIRA GUARACY REBELO

Sábia natureza é farta
de lições, neste planeta.
Quanto mais feia a lagarta,
mais bonita é a borboleta!
CÉLIA GUIMARÃES SANTANA – Sete Lagoas / MG

Milagres da natureza
aos olhos dos predadores:
nos charcos... tanta beleza!
Entre espinhos... tantas flores!
DALMIR PENNA – Barra do Piraí / RJ

Sendo a Água... o Fogo... o Ar
e a Terra em toda a grandeza;
sendo a vida a se espalhar:
Deus é a própria natureza!!!
HELOISA ZANCONATO PINTO – Juiz de Fora

A Natureza, formosa,
perde toda a exuberância
na fumaça criminosa
do fogaréu da ganância!
JOSÉ MESSIAS BRAZ – Pouso Alegre / MG

Mil e um reveses suplanta
em seu divino mister.
Materna... guerreira... santa...
A Natureza é mulher!...
JUPYRA VASCONCELOS – Belo Horizonte

Solidão pinta em meu peito,
e o coração não se importa,
o quadro sempre imperfeito
de uma natureza morta.
MÁRIO MARINHO – São João de Merity / RJ

Não é questão de beleza,
também é de inteligência...
- Preservar a natureza
é pura sobrevivência!
RODOLPHO ABBUD – Nova Friburgo

Do livro da natureza
grande parte não foi lida,
e nela o Autor, com certeza,
conta o segredo da vida.
SÉRGIO DOS SANTOS CUNHA – Rolândia / PR

=================================
ÂMBITO ESTADUAL = TEMA “DESABAFO”

VENCEDORES (por ordem de classificação)

Jamais lamentes a chaga
que em teu peito apareceu...
- Nenhum desabafo apaga
o que a saudade escreveu!
HÉRON PATRÍCIO – São Paulo

Depois que tu foste embora,
no meu peito, o desencanto
não desabafa nem chora,
não tem voz e não tem pranto...
IZO GOLDMAN – São Paulo

É num desabafo mudo
que muita gente se trai,
deixando o olhar dizer tudo
que com palavras não sai.
JOSÉ OUVERNEY – Jambeiro

Estou só... e, sem conselho
que amenize a minha dor,
vou confiando ao espelho
meus desabafos de amor!
MARINA BRUNA - São Paulo

Desabafo, a persistência
de gritos soltando a voz,
retidos na consciência,
gritando dentro de nós!
DERCY DE FREITAS – Amparo

MENÇÕES HONROSAS - (por ordem alfabética)

O que eu fiz de mais errado
nos meus momentos instáveis,
foi não ter desabafado
tantas mágoas reparáveis...
ALBA CHRISTINA CAMPOS NETTO - São Paulo

Num desabafo insincero,
chorando em teu ombro amigo,
digo coisas que não quero,
quero coisas que não digo...
ÉLBEA PRISCILA DE SOUSA E SILVA – Caçapava

Se eu me rendo ao teu agrado,
meu coração, quase louco,
bate no peito e, zangado,
desabafa: - É muito pouco!...
IZO GOLDMAN – São Paulo

Sedenta, ainda, de vida,
a flor, num triste queixume,
desabafa... e ao ser colhida...
tomba, exalando perfume.
MARIA REGINATO LABRUCIANO – São Paulo

Meu diário, dando abrigo
aos desabafos de amor,
faz papel de um ombro amigo
onde eu largo a minha dor!
MARINA BRUNA – São Paulo

MENÇÕES ESPECIAIS - (por ordem alfabética)

Fim de amor, elos partidos,
e acima de tudo os danos
dos desabafos doídos
que eu guardei por tantos anos...
ALBA CHRISTINA CAMPOS NETTO

Meu amigo, eu te agradeço
por ouvires meus dilemas...
O desabafo é o começo
da solução dos problemas.
AMÉRICO DEGL’IESPOSTI – Santos

Todos têm ouvido mouco,
no meio em que me confino;
e o meu desabafo rouco
nunca chega ao seu destino!
ANTONIO VALENTIN RUFATTO – Bauru

Padeço na ausência tua,
e no auge do meu tormento,
desabafo com a lua,
gritando teu nome ao vento!
CAMPOS SALES – São Paulo

Nos lamentos me contenho,
desabafo não faz bem...
Pois as tristezas que tenho
são minhas... de mais ninguém.
ERNESTO TAVARES DE SOUZA – Pindamonhangaba

No dia-a-dia da vida
o desabafo é melhor,
quando uma língua comprida
acha um ouvido maior.
HERIBALDO GERBASI – São Paulo

Um desabafo doído
a brotar de peito aflito,
é o soluço reprimido
que explode em forma de grito!
HÉRON PATRÍCIO

Meu desafio é criar
versos sensíveis e belos,
mesmo tendo que chorar
a quebra dos meus castelos.
LOLA PRATA – Bragança Paulista

Há de estar livre de assombro
e olhar de frente o perigo
quem, na dor, não nega o ombro
para o pranto de um amigo!
PEDRO ORNELLAS - São Paulo

Ao te escrever, eu termino
num desabafo: “Estou farta!...”
Mas, com meu batom assino
pondo o meu beijo... na carta!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA - São Paulo

CONCURSO – HOMENAGEM = TEMA “AMPARO”

VENCEDORES ( por ordem de classificação)

Com os seus raios dourados
o sol, aos pouquinhos, borda
riachos, vales e prados
e a “Flor da Montanha” acorda!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA

Usando a própria magia
Amparo exibe a façanha
de perfumar com poesia
a doce “Flor da Montanha”!
HELOISA ZANCONATO PINTO

Amparo, “Flor da Montanha”,
recebes com tanto brilho,
que até mesmo gente estranha
tu tratas como teu filho.
WILSON CLÓVIS DE ANDRADE – Ribeirão Preto

Não volto ao rincão mais caro
desde a minha meninice,
mas as lembranças de Amparo
amparam minha velhice!
ARLINDO TADEU HAGEN – Juiz de Fora
A verve Luzia tanto
que Deus, achando bonito,
tirou de Amparo o seu canto
para luzir no infinito!
JOSÉ VITOR DE PAIVA – Pouso Alegre