ANÍBAL VITRAL MONTEIRO  nasceu em Barbacena/MG, no dia 24 de abril de 1922, filho de Antonio Fernandes Monteiro e Lúcia Vitral Monteiro.  Passou a residir no Rio de Janeiro.

Tão grande é minha Saudade        (classificada em Nova Friburgo - 1961)
que pretendo dividi-la,
para dar uma metade
a quem me obriga a senti-Ia! 

Minha dor de cotovelo...                (classificada em Nova Friburgo - 1962)
Minha pedra no sapato...
A todos digo que é zelo
mas é ciúme de fato!

Sentimento negativo,
que ora faz mal, ora bem,                (classificada em Nova Friburgo - 1962)
é sintoma positivo
de que alguém gosta de alguém.

Saudade - nem é preciso
perguntar de onde ela vem.
Basta lembrar do sorriso
e do olhar que você tem.

O que se passa na terra
nenhuma calma me traz:
crianças brincam de guerra,
os homens brincam de paz.

Tu dizes com tal meiguice
que tens ciúme de mim,
que adoro o disse-me-disse
que te faz ciumenta assim.

A morte, em si, não me importa:
é tributo do viver.
Mas, o que não me conforta
é saber que vou morrer...

Mãos de mãe - mãos que mendigam,
mãos que oferecem, que doam,
que ao mesmo temo castigam,
ao mesmo tempo perdoam.

Há sempre alguém que me diz
o que preciso fazer...
Por que meter o nariz
onde não devem meter?

Eis o resumo do enredo
da tragédia conjugal:
marido voltou mais cedo...
dois tiros... ponto final.