Pipas no ar, sonhos à mão,
na extensão de uma inconstância,      (Menção Especial SP, 1990)
quando os versos da ilusão
viram páginas da infância.

Na lembrança este espantalho
do meu ontem mais tristonho,
por magia pega o atalho
e espanta todo o meu sonho.

A alma desfeita em rumores
aprisiona o amor em mim
se os desejos são senhores
de um ontem que não tem fim...