ARGEMIRO MARTINS CORRÊA  nasceu em Caxambu/MG, em 16 de fevereiro de 1918, Filho de José Augusto Correa e Climene Martins Ribeiro, com quem teve três filhos: José Francisco, Eduardo e Meimei. Era radicado em Cambuquira, onde realizou importante trabalho pela Trova. Seu passamento deu-se em 31 de maio de 1992.

 

 

 

Quem que não sente saudade
dos tempos que já viveu,
quando com a felicidade
andou e não percebeu?!

Se eu amo e não sou amado,
que culpa me cabe disto?
Por amar, foi desprezado
Nosso Senhor Jesus Cristo!

Eu comparo o juramento
feito por uma mulher,
à folha seca que o vento
leva para onde ele quer.

Sou pobre, não tenho nada,
nada que possa te dar.
- Poeta só tem a estrada
e o direito de sonhar...

Nem mesmo a saudade adoça
essa mágoa que se vê
numa noite aqui na roça,
sem luar e sem você...

Não há dor, não há ferida
que possa inspirar mais dó
do que a tristeza da vida
daquele que vive só.

Não vale ser bom e honesto
se o teu casaco é de estopa.
- Infelizmente o que vale
é a qualidade da roupa...

Ao ver passar um enterro,
a minha filhinha exclama:
- Olha, papai, quanta gente
vai carregando uma cama!...