LIVRETO DA ACADEMIA DE TROVAS DO RIO GRANDE DO NORTE  (CAPA) 
 
(Vista parcial da Matriz de Nossa Senhora de Fátima, em Parnamirim/RN,
realçando a linda fonte luminosa.)
 
 
ANO 2013
 
PALAVRA DO PRESIDENTE DA ATRN
Pela segunda vez, a festa de premiação de nossa Academia de Trovas do Rio Grande do Norte ocorre na cidade de Parnamirim.  Não é só pelos encantos da cidade Tranpolim da Vitória, mas especialmente pelo apoio que ela vem dispensando à Educação e à Cultura. Nossa ATRN, uma das entidades culturais beneficiárias dessa política de  visão ampla  da administração pública de Parnamirim, agradece o incentivo recebido e, em contrapartida,  vem  trazendo, ano a ano, poetas do Brasil e do exterior para testemunharem o que se faz por aqui em favor da cultura.
Não é por  acaso que Parnamirim é a cidade que mais cresce no Rio Grande do Norte, tanto em população quanto em qualidade de vida.  Isso não cai do céu gratuitamente,  mas expressa com realismo o acerto da administração pública do município.
Nossos trovadores do resto do Brasil têm expressado toda a admiração e apreço a este município líder de progresso e de modernidade administrativa.  Quem não conhece ainda, venha conhecer Parnamirim, que só é “mirim” no nome; no mais, é um dos gigantes que sustentam o crescimento da região.
José Lucas de Barros. 
 
PARNAMIRIM EVOLUI 43,7% NOS INDICADORES EDUCACIONAIS:
“A cidade que já contava a menor taxa de analfabetismo  da população com 10 anos ou mais de idade e o melhor índice de Desenvolvimento da Educação Básica         (IDEB) nas séries iniciais, agora acrescenta à lista de conquistas a evolução de 43,7% nos seus indicadores educacionais em dez anos (2010).  O resultado contribuiu para que Parnamirim obtivesse o título de melhor índice de desenvolvimento humano municipal (IDHM) do Rio Grande do Norte, conforme apontado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).  Os dados constam do Atlas do Desenvolvimento Humano de 2013, divulgado no final de julho.”
(Fonte: Revista Municipal 200 DIAS)
**********************************************************************
  
ACADEMIA DE TROVAS DO RIO GRANDE DO NORTE
Diretoria atual para o biênio 2013/2015.
 
Presidente: José Lucas de Barros
Vice-presidente: Severino Campelo
1º Secretário: FABIANO WANDERLEY
2º Secretário: HÉLIO PEDRO SOUZA
3º Secretário: GILDA MOURA
1º Tesoureiro: UBIRATAN QUEIROZ
2º Tesoureiro: ANTÔNIO RODRITUES NETO
Orador: MANOEL CAVALCANE
Diretor de Biblioteca: ANTÔNIO RODRIGUES NETO
Diretor do jornal  O TROVADOR: HÉLIO ALEXANDRE SOUZA
Diretor de Relações  Públicas:  Fabiano Wanderley
Diretora de Departamento Cultural: Gilda Moura
Comissão de Sindicância: Pedro Grilo, Hélio Pedro de Sousa e Antônio Rodrigues Neto. 
 
 
É com muito honra que a Academia de Letras de Parnamirim, mais uma vez, participa e aplaude o encontro de trovadores, evento promovido com esmero pela Academia de Trovadores do Rio G. do Norte, que acontece na cidade de Parnamirim RN, com apoio decisivo da Fundação Parnamirim de Cultura. Nós parnamirinenses vamos ter o privilégio, com deleite e contemplação garantida, de apreciar o mais completo poema de quatro versos, setissílabos, com rimas e métricas perfeitas e completas.
Durante quatro dias vamos fazer uma imensa viagem na poesia dos cancioneiros, que, para muitos pesquisadores, surgiu na Idade Média, como sinônimo de poesia e música. A trova enfrentou com dignidade esse período escuro da nossa história, combatendo com lirismo as Cruzadas, o Feudalismo e todo tipo de luta contra os oprimidos, com encanto e ternura; caminhando e cantando sempre a melhor canção.
Inicialmente, a Trova teve seu reconhecimento literário na França e em Portugal, no famoso movimento denominado Trovadorismo, época em que os poemas eram feitos para serem cantados por poetas e músicos nas tabernas e nas serenatas, ganhando, assim, notoriedade. No Brasil, surgiu a partir dos anos 50, no movimento cultural chamado Trovismo. Essa denominação é atribuída aos poetas e aos historiadores envolvidos com o movimento.
Mas, foi a partir de 1960, com os primeiros eventos realizados no Brasil, que os Travadores orgulhosos e sublimemente gostam de aclamar de Jogos Florais, culminando com a criação da União Brasileira dos Trovadores. Portanto, a Academia de Letras de Parnamirim convida toda comunidade a saudar, com alegria e emoção, os Trovadores do Brasil, nesses segundos Jogos Florais, realizados em nossa cidade.
 
Janduhi Medeiros
Presidente da Academia de Letras de Parnamirim.. 
............................................................. 
 
ATRN – CONCURSO NACIONAL 2013 – Tema AREIA
(Troféu MARIA NASCIMENTO CARVALHO)
 
1º  Lugar -   Carolina Ramos - Santos/SP
A areia fina que escorre
numa ampulheta inclemente,
marca o tempo que não morre,
mas, passa...levando a gente!...
 
2º  - Ivone Taglialegna Prado - Belo Horizonte/MG
Os ventos acariciantes,
sobre areias do destino,
formam dunas ondulantes
com meus sonhos de menino...
 
3º - Renata Pacola - São Paulo/SP
De um amigo, sempre escrevo
um pouquinho a cada vez:
na pedra, o bem que lhe devo;
na areia, o mal que me fez!
 
4º - Edmar Japiassu Maia - Nova Friburgo/RJ.
Do mar, que a paixão alteia,
emergem dúbios valores:
morrem as ondas na areia;
nascem na areia os amores!
 
5º - Marilúcia Rezende - São Paulo/SP
A saudade me consome
e o amor o vento levou...
Na areia escrevi seu nome,
que o mar da vida apagou!... 
 
6º - Edna Valente Ferracini - São Paulo/SP
Meu olhar me põe imerso
na noite densa, estrelada...
E ante a amplidão do universo
sou grão de areia, mais nada.
 
7º - Edna Gallo - Santos/SP
Que a brisa o meu rosto afague
quando entre flores vagueia,
mas, que jamais ela apague
minhas pegadas na areia!
 
8º - João Batista Vasconcellos/RJ
Soluçam beijos na areia...
Pérolas vivas, redondas...
E neste mar que se alteia,
sussurram todas as ondas...
 
9º - Pedro Mello - São Paulo/SP
Escrevo, à luz da candeia,
lembrando amores diversos:
- cada amor é um grão de areia
na ampulheta de meus versos...
 
10º -José Valdez Castro Moura - Pindamonhangaba/SP
Quem seus feitos alardeia,
na vaidade sempre imerso,
esquece que é grão de areia
no deserto do Universo... 
 
11º - Dilva Maria de Moraes - Nova Friburgo/RJ
Com muita angústia e revolta,
da areia contemplo o mar,
à espera de quem não volta
nem dá sinal de voltar!
 
12º - Relva do Egypto - Belo Horizonte/MG
A tempestade de areia
minha trilha não ofusca,
pois fulge a crença e norteia
os meus passos nestas busca.
 
13º - Domitilla Borges Beltrame - São Paulo/SP
Neste garimpo da vida,
meu amor, em desvario,
foi a areia devolvida
à correnteza do rio...
 
14º - Jessé Nascimento - Angra dos Reis/RJ
Com os meus sonhos mais belos,
por ilusões povoados,
de areia fiz meus castelos
pela vida derrubados.
 
15º - Ailton Rodrigues - Nova Friburgo/RJ
Pelo reduto praiano,
sou areia entre as lacunas
deste amor cotidiano
que nos move sobre as dunas! 
 
 
CONCURSO PARA SÓCIOS CORRESPONDENTES:
 
1º - Maria Madalena Ferreira – Magé/RJ
Que eu sou pobre... ninguém diz!
Passo alegre os dias meus!
- Não tenho “bens de raiz”,
mas... tenho as bênçãos de Deus!!!
 
2° - Wanda de Paula Mourthé- BH/MG
Ao teu amor sem ternura,
já perdoei tanta ofensa
que almejo, sem amargura,
a bênção da indiferença.
 
3° - Vanda Fagundes Queiroz – Curitiba/PR
Se devolve a paz e o bem,
se alivia o desencanto,
pode haver bênção, também,
na simples gota do pranto.
 
4° - Antônio Augusto de Assis – Maringá/PR
Quantas bênçãos traz a chuva,
quando rega a plantação:
benze o trigo, benze a uva,
benze a vida em cada grão!
 
5° - Arlindo Tadeu Hagen – BH/MG
Ouvir meu filho pedindo
a bênção me comoveu...
e eu o abençoei sentindo
que o abençoado fui eu! 
 
6° - Eleandra Bonatto – Santiago/RS
O homem que sofre calado,
e se ajoelha em frente à cruz,
roga a Deus emocionado,
por uma bênção de luz...
 
7 ° - Therezinha Dieguez Brisola – São Paulo/SP
Nos caminhos que, hoje, eu trilho,
nos lares, não se usa mais...
eu sou do tempo em que o filho
pedia a bênção aos pais.
 
8° - Wanda de Paula Mourthé - Belo Horizonte/MG
És bênção da natureza,
que, em ti, esbanjou, com arte,
tamanha graça e beleza
que não me canso de olhar-te!
 
9° -  José Ouverney – Pindamonhangaba/SP
 Nenhum ruído é tão lindo,
nem tantas bênçãos encerra,
como o da chuva caindo,
abrindo sulcos na terra.
 
10° - Eleandra Bonatto – Santiago/RS
Sempre eu rezo, peço e sonho,
que Deus, com sua bondade,
transforme o mundo tristonho
com bênçãos de caridade. 
 
11° - Maria Madalena Ferreira - Magé/RG
Quem me alivia e conforta,
ao ver as horas passando,
é o barulhinho da porta
e... “A Bênção, mãe! – “Tô” chegando!”
 
12° - Wandira Fagundes Queiroz - Curitiba/PR
Ao palmilhar meu caminho
de bênção em forma de dor,
Deus mostra o valor do espinho
como prenuncio de flor.
 
13° - Gislaine Canales  - Porto Alegre/RS
Bênção, peço à mãe querida,
que me ama e me quer bem,
à mãe que me deu a vida,
quer me ver feliz, também!  
 
14° - Therezinha Dieguez Brizolla - São Paulo/SP
Não é a cruz, no peito, à mostra,
que a bênção de Deus atrai
mas, sim, quando a alma se prostra
e fala, em segredo, ao pai.
 
15° - Vanda Fagundes Queiroz – Curitiba/PR
Não sei quem é mais feliz,
quem é mais abençoado:
Se é quem recebe ou quem diz
um simples “Muito obrigado”. 
 
Coordenador: Hélio Pedro Souza
Comissão Julgadora:
-Mara Melinni de A. Garcia
-Professor Garcia
-Hélio Alexandre
-Djalma Motta
 %%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%%
 
ATRN – CONCURSO ESTADUAL 2013 – Tema RASTRO
(Troféu CLARINDO BATISTA DE ARAÚJO)

 
1º lugar  - Francisco Garcia de Araújo
Segui teus passos, no entanto,
foi ferindo os pés na estrada
que vi, no teu rastro, o quanto,
sofreste na caminhada!
 
2º - Paulo Roberto da Silva
Vê-se a natureza em dor;
- desmatada... reclamando...
e os rastros do predador
a impunidade apagando!...
 
3º - Mara Melinni
Haja distância, haja espinho...
Lembra, irmão, que em tua andança
sempre haverá, no caminho,
muitos rastros... De esperança!!!
 
4º - José Lucas de Barros
Lindo craque do vergel,
como exímio voador,
o colibri suga o mel
sem deixar rastro na flor. 
 
5º - Fabiano Wanderley
Quando rompe uma paixão,
um vazio nos invade
e um rastro de solidão,
se acerca a dor da saudade.
 
6º -Paulo Roberto da Silva
Triste, com sua partida...
vivo na complexidade,
de ter que achar a saída
pelos rastros da saudade!
 
7º - José Lucas de Barros
Velando a saudade e a dor
de minhas noites sem fim,
eu sigo o rastro do amor
que a vida levou de mim!
 
8º - Manoel Cavalcante S. Castro
Voando em sonhos dispersos,
sigo em louca diretriz
no céu do rastro dos versos
das trovas que nunca fiz.
 
9º - Fabiano Wanderley
Teus dogmas são o meu lastro,
teus conselhos, meu laurel,
meus passos seguem teu rastro,
à Glória, ao Reino do Céu! 
 
10º - Eva Yanni A. Garcia
A lembrança, em minha mente,
é o rastro de quem viveu
um grande amor, simplesmente,
que até hoje não morreu!
 
11º - Francisco Garcia de Araújo
O Sol quando desce à alcova,
toda tarde me seduz,
depois que põe numa trova
seus rastros tênues de luz.
 
12º - Hélio Pedro de Souza
A nossa cara-metade
em adeus, na despedida,
deixa um rastro de saudade
que dura por toda vida.
 
13º - Manoel Cavalcante S. Castro
Na rua, ante a própria cruz,
o cão segue em procissão
lambendo os rastros de luz
que a lua espalhou no chão.

 
ATRN 2013
CONCURSO INTERANO PARA SÓCIOS EFETIVOS – Tema MÃO:

 
1º -  MARA MELINNI
No ocaso da longa idade,
as minhas mãos, tão vazias,
unem-se às mãos da saudade,
 no pôr-do-sol dos meus dias...! 
 
– 2º  - MANOEL CAVALCANTI
Sem temer fortes abalos,
na vida, meu sonho vai    
bebendo a seiva dos calos          
das mãos grossas de meu pai.
 
– 3º -  MANOEL CAVALCANTI
A fé que faz, desde o berço,
com que eu não me sinta só,
pulsa nas contas do terço
preso nas mãos de vovó.
 
– 4º - JOSÉ LUCAS DE BARROS
As mãozinhas da criança,
sustendo o materno seio,
lembram que a vida e a esperança
se nutrem do mesmo veio.
 
– 5º - FABIANO WANDERLEY
Para o ser deficiente,
desprovido de visão,
deu-lhe, o Pai Onipotente,
um olhar, em cada mão...
 
– 6º - JOSÉ LUCAS DE BARROS
Quando tombei nas encostas,
não sucumbi na colina
porque mamãe, de mãos postas,
me entregava à mão divina. 
 
7º - MARA MELLINI
A minha mão tão vazia
ansiando a tua chegada,
dava a mão à nostalgia
na triste sina da estrada ...
 
 8º - FRANCISCO GARCIA DE ARAUJO 
Não sejamos tão descrentes ...
Vejam, que os dedos das mãos,
são todos, tão diferentes,
mas são amigos e irmãos!
 
9º -  FABIANO WANDERLEY
Há em teus olhos serenos,
na mão de seda, que afaga,
nos beijos quentes, amenos,
um grande amor, que embriaga .
 
10º - FRANCISCO GARCIA DE ARAUJO 
Nossas mãos juntas, talvez,
postas aos pés de uma ermida,
possam salvar outra vez,
 velhas promessas de vida!
 
– 11º -  HELIO PEDRO SOUZA
Essas mãos que me afagaram,
dando carinho e guarida,
são as mesmas que acenaram
no instante final da vida.