CONCURSOS DA ATRN- Academia de Trovas do Rio Grande do Norte - 2014

PALAVRA DO PRESIDENTE DA ATRN  - A Academia de Trovas do Rio Grande do Norte, no 49º ano de sua existência realizou o XXXIV concurso de trovas, desta vez agindo conjuntamente com a UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES, seção de Natal. Em face disso, a festividade de premiação das duas entidades se faz em conjunto este ano e nos anos vindouros, porque a parceria continuará.
No próximo ano (2015) a festividade se fará em novembro, mês em que a ATRN vai comemorar o seu cinquentenário. Uma programação especial será montada para a efeméride, com a máxima divulgação possível. Uma das realizações já vem sendo trabalhada:  é o lançamento de uma segunda edição do livro SINFONIA DE TROVAS, que além de um trabalho de atualização, receberá o acréscimo das biografias dos patronos, assim como dos acadêmicos empossados após o ano de 1995, ano do lançamento da obra original. Estes, além de uma síntese biográfica, deverão entregar, com a possível urgência, uma foto pequena e dez trovas de sua autoria e escolha pessoal.  Dos sócios que ingressaram na ATRN após o ano de 1995, mas faleceram, esta presidência cuidará dos dados necessários à sua inclusão no livro.
Aproveitamos o ensejo para agradecer o apoio que a Prefeitura Municipal de Parnamirim tem dado para a realização de nossas festividades de premiação dos concursos anuais de trovas, através de sua atuante Fundação Parnamirim de Cultura.
Agradecemos, também, a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, tem contribuído para o êxito de nossas festividades (familiares, amigos, trovadores visitantes e outras pessoas que arregaçam as mangas conosco).  Cordialmente, José Lucas de Barros.
 
XXXIV CONCURSO DA  A T R N – 2014    /   
TEMA NACIONAL: ENSAIO (S)

RESULTADO:
1º lugar: Wanda de Paula Mourthé/MG
Passas veloz feito raio,
tempo, diretor cruel!
E eu, sem chance de um ensaio,
erro, às vezes, meu papel.
 
2º lugar: Renata Paccola/SP
Sinto a dor de quem confessa
que minha vida pequena
foi o ensaio de uma peça
que jamais entrou em cena...
 
3º lugar: Eliana Ruiz Jimenez/SC
Quando o amor se faz ausente
e a solidão vivencio
eu ensaio novamente
um drama em palco vazio.
 
4º lugar: Mercedes Lisbôa Sutilo/SP
Levanto-me quando caio
(posso tombar num tropeço)
e logo em seguida ensaio,
para a vida, um recomeço!...
 
5º lugar: Ana Cristina/SP
Partiste, tão machucado,
me deixando mágoa e dor...
- Ensaio mal acabado
de um lindo caso de amor...
 
6º lugar: A. A. de Assis/PR
Árduo é o mundo, mas louvai-o,
pois que estar nele é preciso.
- É aqui que se faz o ensaio
para entrar no paraíso.
 
7º lugar: Elen de Novais Felix/RJ
O tempo da mocidade
passa em constante corrida,
e depois chega a saudade
no ensaio da despedida.
 
8º lugar: Campos Sales/SP
Pelos beirais se escoando,
noite adentro a gotejar,
a chuva ensaia cantando,
doces canções de ninar!
 
9º lugar: José Valdez C. Moura/SP
Ensaio o amargor da ausência
de mil agrados, promessas,
pois, em minha consciência,
eu bem sei que não regressas!
 
10º lugar: Roberto Resende Vilela/MG
Embora tenha vencido
resistências e fracassos,
eu vivo ainda perdido
entre os ensaios... e os passos.
 
11º lugar: Gilvan Carneiro da Silva/RJ
Entre ilusões me distraio
insistindo em concluir,
que a vida é só um ensaio
para um “depois” que há de vir...
 
12º lugar: A. A. de Assis/PR
Vamos soltar papagaio,
antes que os “gênios” da guerra
tirem dos tubos de ensaio
um monstro  que arrase a Terra!
 
13º lugar: Relva do Egypto/MG
Sem ensaio, em ato incerto,
com encantos da alvorada,
a ribalta é o mar aberto
e a bailarina é a jangada.
 
14º lugar: Roberto Tchepelentyky/SP
Ensaio nos pensamentos,
a “sede” que eu mataria...
Dos meus lábios tão sedentos,
encontrando os teus, Maria!!!
 
15º lugar: Dáguima Verônica/MG
Troquei a dor pelo riso
e fiz florir meu jardim;
ensaio o meu paraíso
ao buscar Deus junto a mim.
 
COMISSÃO JULGADORA:
Francisco Garcia de Araújo (Prof. Garcia – coordenador)
Hélio Pedro Souza

Mara Melinni de Araújo Garcia
 
ATRN 2014 – CONCURSO PARA SÓCIOS CORRESPONDEDNTES – Tema ENREDO
 
RESULTADO:
 
1º  Lugar
Rompi um enredo antigo,
suas lembranças, seus laços,
pois hoje encontrei abrigo
no aconchego de outros braços.
(Relva do Egypto/MG)
 
2º Lugar
A  brisa traz nostalgia
e o sol ao adormecer,
escreve o enredo do dia
nas preces do entardecer.
(Elen de Novais Félix/RJ)
 
3º Lugar
Enredo que me revolta,
amplificando os meus ais:
querer trazer-te de volta
se já não me queres mais...
(José Valdez C. Moura/SP)
 
4º Lugar
Num final  silencioso,
que só mentiras encobre,
nosso amor, tão precioso,
teve um enredo tão pobre...
(Ana Cristina/SP)
 
5º Lugar
Eu e a vida, desde cedo,
pecamos na afinação:
ao entoarmos o enredo,
cada qual segue um refrão!
(José Ouverney/SP)
 
6º Lugar
Eu guardo com tanto enlevo
este enredo que é  só nosso...
Posso contá-lo?  Não devo!
Devo contá-lo? Não posso...
(Antônio Colavite Filho/SP)
 
7º Lugar
Senti-me, ao te conhecer,
tão dependente e envolvida,
que eu já não sei mais tecer
o enredo da minha vida.
(Arlindo Tadeu Hagen/MG)
 
8º Lugar
Escreve, o guri carente
um enredo, à luz da lua,
esticando o olhar doente
pelas lixeiras da rua.
(Adilson Maia/RJ)
 
9º Lugar
Deus me deu em branco a folha
para eu traçar meu enredo:
fiz do amor a minha escolha,
e da fé o meu  rochedo.
(Eliana Ruiz Gimenez/SC)
 
10º Lugar
Quanta grandeza se abriga
nesse enredo de feição,
que há no gesto da mendiga
que parte e reparte o pão.
(Adilson Maia/RJ)
 
11º Lugar
Sonho mantido em segredo
porque o julgamos pecado,
o nosso amor foi o enredo
de um livro não publicado.
(Therezinha Diegues Brisolla/SP)
 
12º Lugar
Quando teu olhar me enleia
no enredo dessa paixão,
tece delicada teia
e prende meu coração!
(Therezinha Diegues Brisolla/SP)
 
13º Lugar
Dos livros todos da vida,
o enredo que me envolveu,
foi ver amor sem medida
de quem por todos morreu.
(Lília Souza/PR)
 
14º Lugar
O sonho parece eterno
na mocidade florida,
até que o enredo de inverno
ocupe o palco da vida.
(Elen de Novais Félix/RJ)
 
15º  Lugar
Pode ter o  meu contexto
enredo feliz... ou não.
Se a sorte escreve um mau texto,
peço a Deus a revisão!
(Wanda de Paula Mourthé/MG)
 
COMISSÃO JULGADORA:
José Lucas de Barros (coordenador)
Francisco Garcia de Araújo (Prof. Garcia)
Luiz Gonzaga da Silva
============================
 
ESTADUAL TEMA PRÊMIO

 RESULTADO:

1º lugar 
Em tantos prêmios perdidos
venci mágoa e dissabores
que, sorrindo entre os vencidos,
ganhei mais que os vencedores.
(Hélio Alexandre  Souza)
 

Por ser poeta e boêmio,
bendigo a Deus numa prece,
porque a inspiração é o prêmio
melhor que a vida oferece.
(José Lucas de Barros) 
 
3 º
Seja bravo, não desista,
lute com garra e esperança,
que o prêmio de uma conquista
é a vitória que se alcança!
(Prof. Garcia )
 
4 º
Nenhum prêmio vale a pena,
quando a vida, num tropeço,
vira lacuna pequena
a troco de qualquer preço.
(Mara Melinni A. Garcia)
 
5 º
Quis da vida a plenitude
de infindos prêmios sonhados...
Não ganhei tudo o que pude,
mas vivi sonhos dourados.
(Hélio Alexandre Souza)
 
6 º
Nos olhos da mãe o brilho,
no rosto um sorriso farto;
como prêmio, vê seu filho,
que chora depois do parto.
( Hélio Pedro de Souza)
 
7 º
O maior prêmio, eu suponho,
que Deus nos dá,  sem medida:
nunca desistir do sonho
de sonhar enquanto há vida!
( Eva Yanni A. Garcia)
 
8 º
Quem aceita e arrasta a cruz,
tem como prêmio e troféu:
na terra – um cetro de luz
e um trono de ouro no céu!
(Prof. Garcia ) 
 
9 º
O meu coração boêmio,
como eterno sonhador,
renegava o maior prêmio,
que é se embriagar de amor!
( Heder Rubens S. Souza)
 
10 º
No olhar triste de um boêmio,
o aspecto de dissabor,
traz tênue, seu maior prêmio:
viver morrendo de amor.
( Manoel Cavalcante)
 
11º
Este sorrir sem tamanho,
que eu levo sem embaraço,
não vem dos prêmios que ganho,
é dos amigos que faço.
( Manoel Cavalcante)
 
12º
Neste mundo sem reparo,
paga-se um alto valor...
Mas o prêmio, por mais caro,
não paga a falta de amor.
( Mara Melinni A. Garcia)
 
13º
Sou feliz como menino,
premiado com teus afagos,
mas os prêmios do destino
ainda não foram pagos!
( José Lucas de Barros)
 
14 º
Doce amor que me fascina!
Por ti, vi terras além.
Lucrei minha alegre sina
Na lisura de outro alguém.
(Paulo Caldas Neto)
 
 COMISSÃO JULGADORA:
 
ARLINDO TADEU HAGEN
JOSÉ MESSIAS BRAZ               
WANDA DE PAULA MOURTHÉ (coordenadora)
 ================================
 
CONCURSO PARA SÓCIOS EFETIVOS – Tema PASSARINHO
 
Resultado:

 1º lugar
Canta, poeta passarinho,
não somos tão desiguais!...
Eu também canto sozinho
preso aos grilhões dos meus ais!
(Francisco Garcia de Araújo)
 
2º lugar
O passarinho é um menino
que desconhece a maldade
e não merece o destino
de cantar sem liberdade!
(José Lucas de Barros)
 
3º lugar
Pobre canário indefeso
na gaiola, sem um ninho!
Mas deveria estar preso
quem prendeu o passarinho!
(José Lucas de Barros) 
 
4º lugar
Na vida, frágil refém,
eu fui como passarinho:
quando me vi sem ninguém,
tive que voar sozinho.
(Manoel Cavalcante de Souza Castro)
 
5º lugar
Passarinho, volta logo
que eu quero escutar teu canto...
Nas tuas notas me afogo
para afastar o meu pranto!
(Eva Yanni de Araújo Garcia)
 
6º lugar
Sem prisão, sem cativeiro,
no alcance de outro caminho,
meu sonho voou ligeiro
nas asas de um passarinho!...
(Mara Melinni de Araújo Garcia)
 
7º lugar
Um alçapão que alguém deixa,
ao prender um passarinho,
sequer o dono ouve a queixa
dos órfãos que estão no ninho.
(Hélio Pedro de Souza )
 
8º lugar
Viva com simplicidade,
siga a ação dos passarinhos:
– Plante amor, fraternidade
no aconchego dos seus ninhos...
(Fabiano de Cristo Magalhães Wanderley )
 
9º lugar
Por meus amores me açoito,
e agora, na solidão,
virei passarinho afoito
nos céus de minha ilusão.
(Manoel Cavalcante de Souza Castro)
 
10º lugar
Preso!... Tens riso em teu canto,
ó poeta passarinho!...
E eu solto gorjeio tanto,
só tenho pranto em meu ninho!
(Francisco Garcia de Araújo)
 
11º lugar
Libertos, em suas vidas,
na amplidão dos seus caminhos,
voam aves coloridas,
a trinar... os passarinhos!
(Fabiano de Cristo Magalhães Wanderley)
 
COMISSÃO JULGADORA:
Alberto Paco
 Antonio Augusto de Assis (coordenador)
 Jeanette Monteiro de Cnop
 
======================================