AURORA TEIXEIRA MENDES
 foi mulher brilhante, extrovertida, que transpôs a casa dos noventa anos transpirando adolescência. Extremamente envolvida com poesia, política e tudo que tivesse acesso direto às suas emoções, como filha de Pindamonhangaba.  Faleceu a 09 de agosto de 2008, um mês após ter comparecido à cerimônia de entrega de prêmios do Concurso de Trovas de Pinda, onde foi contemplada com a primeira trova abaixo.  Um exemplo de vida bem vivida.

A sedução me seguia
com persistência tenaz.....(ME PINDA - SEDUÇÃO 2008)
e quanto mais eu corria
mais ela corria atrás.

Tua ausência me faz bem,
até me sinto melhor:
não discuto com ninguém.....(M. Especial Pinda 2001 - Ausência)
e a cama ficou maior!

Todos os sonhos quebrados.....(Vencedora Pinda 2000 - Presente)
no teu passado carente
poderão ser completados
nas ações do teu presente.

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

   Quando de sua partida, homenageei a grande amiga com estes versos:

Sempre lutando, a senhora
compôs a sua verdade:
uma luz que ganha, agora,
dimensão de eternidade. 

Minha lira, enquanto chora,
repete, com suavidade:
- Até breve, Dona Aurora;
- Bem vinda, Dona Saudade!