João Antonio de AZEVEDO CRUZ   nasceu em Campos a 22.07.1870. Era neto de escravos.  Bacharel em Direito, foi Secretário de Estado do Rio de Janeiro e Chefe de Polícia, além de jornalista e exímio orador. Faleceu em Nova Friburgo, em 22.01.1905.  Deixou o livro de poesias "Sonho".

(Trova nº 754 do livro "Meus Irmãos, os Trovadores", de Luiz Otávio)
Julgaste exintas as lavas,
mortas de todo as fagulhas?
Mas então se assim julgavas,
por que o cinzeiro vasculhas?

(trova nº 633 do livro "A Trova no Brasil", de Aparício Fernandes)
Teu nome, posto no meio
da frase, tem a virtude
de dar à frase mais rude
os ares de um galanteio.