JOGOS FLORAIS DE CAÇAPAVA/SP - 1990

CONCURSO  NACIONAL = TEMA:  "PRAÇA"

1º lugar:
Nos sonhos da mocidade
a praça foi nosso abrigo.
Hoje vim só, e a saudade
sentou no banco... comigo.
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA - SP

2º lugar:
Nalgum lugar do passado,
cheio de luz e de graça,
ficou um banco encantado
num canto da nossa praça!...
HERMOCLYDES SIQUEIRA FRANCO - RJ

3º lugar:
Silêncio, que a praça dorme!
E em seu dormir, eu suponho
que o seu esforço é enorme,
pra recolher tanto sonho!
MILDES CAMPANÁRIO - Santos

4º lugar:
As folhas envelhecidas
que a praça vão salpicando,
são as pegadas das vidas
que ali se foram juntando.
OLÍVIA ALEGRI - Caçapava

5º lugar:
Parei de novo na praça
a lembrar o que foi meu...
Parece que nada passa,
e só quem passou fui eu...
APARECIDO ELIAS PESCADOR - Pirituba/SP

MENÇÕES   HONROSAS (por ordem alfabética)

Quando a lua espalha o talco
do luar sobre a cidade,
vira a praça o grande palco
dos sonhos da mocidade.
ORLANDO BRITO - São Luís/MA

Naquele tronco perdido,
entre as árvores, na praça,
o teu nome ao meu unido,
conta o segredo a quem passa...
CONCHITA MOUTINHO DE ALMEIDA - SP

Sob as árvores frondosas
a singela margarida
vai florescendo entre as rosas,
enchendo a praça de vida.
DIVENEI BOSELI - SP

- A Praça que um dia amei
ficou na minha lembrança:
foi a Praça onde brinquei
quando ainda era criança!
FRANCISCO NUNES DA COSTA FILHO - Caçapava

Nesta praça, de mansinho,
sonhei qual flor generosa...
- Agora só vejo espinho
no sonho de cada rosa...
HELVÉCIO BARROS - Bauru

Pedaço cheio de graça,
abrigo de horas perdidas,
recanto de nossa praça,
infância de nossas vidas!...
HERMOCLYDES SIQUEIRA FRANCO - RJ

Ante o ocaso enciumado,
a Praça em doce abandono,
num leito do tom dourado,
se entrega aos braços do outono...
IZO GOLDMAN - SP

A praça toda enfeitada,
com bandeiras coloridas,
é uma página encantada
na história de muitas vidas...
MARILÚCIZ REZENDE - SP

A praça... o coreto... a lua...
as juras de amor sem fim.
- E, agora, é a saudade tua,
que fala dentro de mim.
NYDIA IAGGI MARTINS - Nova Friburgo

Sabes tudo a meu respeito,
conheces o meu destino;
ó Praça, dize o que é feito
dos meus sonhos de menino!
PEDRO ORNELLAS - Guaianases/SP

MENÇÕES   ESPECIAIS (por ordem alfabética)

Vendo a banda e o chafariz,
lembro em estado de graça,
o tempo em que fui feliz
contigo, na velha praça...
ALBERTINA MOREIRA PEDRO - RJ

Eu regressei, quem diria,
para chorar minha dor...
na mesma praça em que um dia
trocamos juras de amor.
AURORA PIERRI ARTESE - SP

Banhada, na noite fria,
por um luar desolado,
saudade é praça vazia
num coração magoado!...
CLEBER ROBERTO DE OLIVEIRA - São João de Meriti/RJ

Velha praça, vejo agora
que são iguais nossos fados...
- Dos nossos sonhos de outrora
restam dois abandonados.
CYRLÉA NEVES - Nova Friburgo

Vem a noite, tudo abranda,
vem a poesia e me abraça,
se o luar dança ciranda
com as flores lá na praça!
EUGÊNIO M. RODRIGUES - Rio Novo/MG

Ardentes, meus olhos buscam
teu vulto que, esquivo, passa,
com seus encantos que ofuscam
todas as luzes da praça!
HELOÍSA ZANCONATO PINTO - Juiz de Fora

Sempre que volto às raízes
(o bairro... a praça... um amigo!)
muitas lembranças felizes
brincam de roda comigo.
MILTON SEBASTIÃO SOUZA - Porto Alegre

Na praça deserta e nua,
em noites de serenata,
vagueia, boêmia, a lua
com seu luar cor de prata.
ORMINDO DOS SANTOS TEODÓSIO - Brumadinho/MG

Na praça em que, no passado,
juraste um dia voltar,
até o banco enferrujado
envelheceu de esperar!...
SÉRGIO MIRANDA FILHO - RJ

Na praça, nós dois, outrora,
e os sonhos da mocidade...
E agora, o que resta agora?
Somente a praça... e a Saudade...
VASQUES FILHO - Fortaleza

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS DE AUTORES CAÇAPAVENSES:

Sem a fonte luminosa
e a retreta domingueira,
ficou triste e até saudosa
nossa Praça da Bandeira.
OZÓRIO PORTO

A praça com suas cores,
as crianças a brincar...
O amor colorindo as flores,
a Natureza a cantar...
MARIANA CHAGAS DE ABREU MONTEIRO

Em quase toda cidade
a Praça é seu coração,
abrigando em igualdade
toda uma população.
MARIA OLÍVIA NUNES DA COSTA MARCO

Na praça a criança corre,
no banco, o moço descansa.
O mendigo, quem socorre?
Acorda aí, vida mansa!
DARCY BREVES DE ALMEIDA

A praça que vês agora,
a brincar, meu filho amado,
recorda bem a que outrora
me viu brincar, no passado.
EUFRÁSIO RODRIGUES DE OLIVEIRA FILHO

Ao cruzar a antiga praça
onde em criança brinquei,
não lhe achei a menor graça...
Ela mudou?... Eu mudei.
ÉLBEA PRISCILA DE SOUZA E SILVA

A praça é o berço que embala
a cidade que ama e cresce,
é a musa que, muda, fala,
na saudade que enternece.
ANTONIO ZANETTI

NOTA = esse material foi uma gentil contribuição da trovadora DIVENEI BOSELI, da UBT São Paulo/SP
-------------------------------------------------------------------------------