Realização:  UBT Rio de Janeiro  (em homenagem ao centenário de nascimento do "Rei da Trova")

ÂMBITO NACIONAL  (Líricas e/ou Filosóficas)  -  TEMA:  "CASTELO"

03 VENCEDORES  (por ordem alfabética de autores)

ANTONIO JURACI SIQUEIRA - Belém/PA
Quem na mentira baseia
seus atos, buscando a fama,
constrói castelos de areia
sobre alicerces de lama.

SÉRGIO BERNARDO CORRÊA - Nova Friburgo
Por tanto a fome acossá-los
e oprimi-los falsas leis,
pode a fúria dos vassalos
tombar castelos e reis!!!

VASQUES FILHO - Fortaleza
Neste alaúde singelo,
dedilhando sons tristonhos,
vou, de castelo em castelo,
cantando em trovas meus sonhos.

MENÇÕES   HONROSAS  (por ordem alfabética de autores)

ARLINDO TADEU HAGEN - Juiz de Fora
Mais um castelo tombado
faz com que eu veja, tristonho,
o quanto eu tenho abusado
da engenharia do sonho.

EUGÊNIO CARVALHO JÚNIOR - João Pessoa/PB
Fiz castelos, em criança,
sem saber que a sorte ingrata,
quando mata uma esperança,
não sabe bem o que mata!

JOÃO ELIAS DOS SANTOS - São Paulo
Cigana dos bons agouros...
prevês mudanças, tão fartas,
que me fazes um rei de ouros
no teu castelo de cartas!

MENÇÕES   ESPECIAIS  (por ordem alfabética de autores)

ALOÍSIO ALVES DA COSTA - Fortaleza
O tempo com seus martelos,
demolidores, medonhos,
destrói antigos castelos,
mas não destrói velhos sonhos!

ALOÍSIO BEZERRA - Fortaleza
Não quero os bens temporais,
castelos, famas que correm...
Busco as riquezas morais,
prefiro os bens que não morrem!

MARIA DINORAH ALENCAR - Belo Horizonte
Pouco se pode alcançar,
se a sorte falta e cerceia.
É o mesmo que desejar
erguer castelos na areia...

---------------------------------------------------------

ÂMBITO NACIONAL  (Humorísticas)  -  TEMA:  "COROA"

03 VENCEDORES  (por ordem alfabética de autores)

ALOÍSIO ALVES DA COSTA - Fortaleza
Tenho coroa no dente.
Sendo assim, não beijo à-toa...
Coroa de beijo quente
derrete qualquer coroa...

ARLINDO TADEU HAGEN - Juiz de Fora
Minha sogra é uma desgraça:
magricela e jururu,
a coroa é mais sem graça
que rodízio de chuchu!

SÉRGIO BERNARDO CORRÊA - Nova Friburgo
A Rainha, em sua ira,
quer presa a velha condessa,
porque, à noite, o Rei não tira
a "coroa" da cabeça!

MENÇÕES   HONROSAS  (por ordem alfabética de autores)

EUGÊNIA MARIA RODRIGUES - Rio Novo/MG
Numa grande "fria" entraram
naquela noite, bem sei,
os vassalos que tocaram
na "coroa" do seu Rei!

FÁBIO NORONHA - São João da Boa Vista/SP
O dentista: "Uma coroa
você precisa". - E o arraza.
- Mais uma, doutor, perdoa,
não basta a que eu tenho em casa?

VANDA FAGUNDES QUEIROZ - Curitiba
O rei, cumprindo a promessa,
quis dar-lhe alguma coisinha.
- "Leva a coroa"... E, depressa,
o outro levou... a rainha!

MENÇÕES   ESPECIAIS  (por ordem alfabética de autores)

DORALICE GOMES DA ROSA - Porto Alegre
Aquela coroa enxuta,
mal anoitece ela sai,
dizendo que vai à luta:
- Só Deus sabe onde ela vai!

THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA - São Paulo
- Canta mal, essa "coroa"...
- Pois saiba que é minha tia.
- Se a música fosse boa...
- Pois é de minha autoria!

VASQUES FILHO - Fortaleza
O caso jamais se viu
em concursos - esta é boa! -
quando o júri decidiu
coroar uma "coroa"!...
---------------------------------------------------------

ÂMBITO MUNICIPAL  (apenas trovadores residentes na cidade do Rio de Janeiro)

(Líricas e/ou Filosóficas)  -  TEMA:  "ESCRAVO"

03 VENCEDORES  (por ordem alfabética de autores)

CARLOS GUIMARÃES
Escravo sou da saudade...
Feliz, no entanto, porque
tenho ainda a liberdade
de pensar, sempre, em você...

MARIA NASCIMENTO SANTOS
Hoje, presa à solidão,
sem a paz com que eu sonhava,
sinto falta da prisão
de quando era tua escrava...

NILCI DA SILVA GUIMARÃES
O velho mar nos parece,
em noites de lua cheia,
murmurar juras em prece,
escravo da branca areia...

MENÇÕES   HONROSAS  (por ordem alfabética de autores)

GILBERTO GUERREIRO BARBALHO
Teu rosto alegre, querida,
eis o motivo preciso
que me faz, por toda a vida,
escravo do teu sorriso.

HERMOCLYDES SIQUEIRA FRANCO
Escravo do teu olhar
e do teu sorrir, brejeiro,
não me importo de passar
cem anos de cativeiro!...

JOSÉ MARIA MACHADO DE ARAÚJO
Rezo a Deus e, com fervor,
suplico em cada oração:
que eu seja Escravo do Amor,
nunca Escravo da Ambição!

MENÇÕES   ESPECIAIS  (por ordem alfabética de autores)

ALMERINDA LIPORAGE (Tita)
Medindo apenas valores,
hoje, libertos e francos,
há muitos negros doutores
cercados de escravos brancos!

JOSÉ AUGUSTO FERNANDES
Instrumento de suplício,
o tronco que o escravo prende,
marcou apenas o início
de um mal que amarga e que ofende.

WALDIR NEVES
Por liberdade eu lutei,
toda a vida, com ardor,
e, sem luta, me tornei
escravo eterno do Amor...
---------------------------------------------------------

ÂMBITO MUNICIPAL  (Humorísticas)  -  TEMA:  "TRONO"

03 VENCEDORES  (por ordem alfabética de autores)

EDMAR JAPIASSÚ MAIA
No inferno a sogra chegando,
tanto aplauso recebeu,
que Satanás, levantando,
lhe disse: "meu trono é seu!"...

JOSÉ MARIA MACHADO DE ARAÚJO
Embora não sejas minha,
rainha do rebolado,
é no teu trono, rainha,
que eu sonho viver sentado!...

P. DE PETRUS
Tudo, em casa, é diferente,
cada  qual tem seu mister;
o trono é meu, realmente,
mas quem governa é a mulher!

MENÇÕES   HONROSAS  (por ordem alfabética de autores)

ALCY RIBEIRO SOUTO MAIOR
Rei de um trono que já era,
com mulher bonita e boa,
tem, sempre, a cabeça à espera
da indesejável coroa...

EDMAR JAPIASSÚ MAIA
Cara-de-pau afamado,
um concurso promoveu,
de esposo mais enganado,
sabendo que o trono... é seu!

GILBERTO GUERREIRO BARBALHO
Já foi Rei, muito afamado.
Hoje, em completo abandono,
recorda o tempo passado,
toda vez que vai ao trono...

MENÇÕES   ESPECIAIS  (por ordem alfabética de autores)

ALBERTINA MOREIRA PEDRO
Depois que o império acabou,
após cassada a chibata,
o luso, que aqui ficou,
deu logo um trono à mulata!

JOÃO FREIRE FILHO
A rainha perde o sono
e aguenta um jejum enorme:
o rei, que dorme no trono,
na cama... também só dorme...

WALDIR NEVES
Quando aquele comilão
se põe no trono sentado,
tem que haver prorrogação
no tempo do seu reinado.
---------------------------------------------------------
Gentil colaboração da trovadora Alba Christina Campos Netto, da UBT cidade de São Paulo