MARIA APARECIDA ARANTES VASQUES, professora, que era casada com o também poeta Alcides Vasques, nasceu em Guaratinguetá, em 11 de dezembro de 1916, filha de Frederico  Nelson Arantes e Adelina Bueno de Oliveira Arantes. Mudou-se para Pindamonhangaba em 1933. Faleceu em 31 de dezembro de 2003. Fez parte da Academia Pindamonhangabense de Letras, onde ocupou por bom tempo a cadeira nº 10.

Lenços brancos acenando,     (concurso interno UBT PPinda - 1993)
significam - Partir.
Tu vais indo, vou ficando,
chorando pra também ir!...

A discórdia é dor que afeta     (Menção Especial em Pinda - 1998)
sem dó e sem compaixão;
é o veneno de uma seta,
que atravessa o coração.