UBT Seção São Paulo  -   9 de Novembro  de 1996
 
 
                                                                                          UM TROVADOR EM FOCO   :    CIPRIANO FERREIRA GOMES
 
     Nosso “Trovador em Foco” de hoje é aniversariante da semana. Ele nasceu em Pinheiro de Bem Posta, no Aveiro, em Portugal, no dia 05 de Novembro. Filho de Ernesto Gomes e Dona Eloia Soares Ferreira, chegou ao Brasil em 10/03/52 e, segundo Izo Goldman, em 1974 fez sua primeira trova em homenagem à sua filha Márcia, ainda no ventre da mãe Filomena. Com ternura ele dizia :
 
“Tocar-te o ventre crescido
é luz de divino brilho;
é, mesmo antes de nascido,
acalentar nosso filho !”
 
     Esta trova conncorreu aos Jogos Florais de Niterói, tema Acalanto, tendo sido publicada como homenagem no livreto. Na época, Izo Goldman fora incumbido de entregar-lhe o livreto e, daí, nasceu a amizade e a participação do nosso “Tovador em Foco”  de hoje na UBT. Sua trova mais famosa é a vencedora dso Jogos Florais de Porto Alegre, tema Infância. Mais uma vez, esbanjando ternura, ele dizia :
 
“Pelos trilhos da distância
no trem de minhas tristezas,
somente o vagão da infância
tem janelinhas acesas! ...”
 
     Mas ele também fala de sofrimento, do sofrimento do dia-a-dia, e, em sua trova favorita, ele diz:
 
“Carregando a sua Cruz
de sofrimento e de fome,
tenho encontrado Jesus
com outro rosto e outro nome ! ...”
 
     Suas trovas são antológicas e nos brindam, ivariavelmente, com grandes achados :
 
“Fraternidade de fato
é aquele amor tão estreito,
que come no mesmo prato
e dorme no mesmo leito ...”
 
“Trapos de espuma, estendidos
pelas varandas do mar
- lenços molhados, vencidos
de tanto pranto enxugar ! ...”
 
     Achados que já o fizeram  falar de sonhos como se fora um pirata :
 
“Coração - Ilha perdida
no peito do sonhador,
onde os piratas da vida
pilham tesouros de amor ! ...”
 
     Ou como se fora um contrabandista :
 
“Nas despedidas sem fim,
buscando portos risonhos,
a vida já fez de mim
contrabandista de sonhos ! ...”
 
     Suas trovas são tão expressivas que dispensam comentários e introduções. Vejam porque :
 
“Sobre teu rosto magoado,
ferido pelo desgosto,
os espinhos do passado
vão desenhando outro rosto ...”
 
“Só o amor, com seus alardes,
sem dimensões, transcendentes,
pode exaltar os covardes
e acovardar os valentes !”
 
“Queimei tudo, destruí
tuas mensagens de outrora;
mas, amor, não consegui
mandar as cinzas embora !”
 
     Antes de terminar, gostaria de dizer de como eu mesmo comecei na trova. Era 1983 e eu, garoto de 18 anos, tinha sido trazido à UBT pelo trovador Afonso Vicente Ferreira, Delegado da UBT em Ribeirão Pires. Ainda não muito certo do que era e da grandeza que encerrava a Trova, fui a uma entrega de prêmios (saudosa !) no Terraço Itália. Foi lá que eu entendi o que era a Trova, quando este Trovador, premiado no tema Matiz, levantou-se e disse :
 
“Para dar cor aos matizes
da mais bela floração,
humildemente, as raízes
vivem ocultas no chão !”
 
     Hoje em dia ele dedica-se mais às artes plásticas, eu creio. Mas nos deixou, ele mesmo, escrito em uma trova, a falta que faz à nossa UBT São Paulo :
 
“Do nosso abraço desfeito,
resta-me a doce inconsciência
de erguer os braços ao peito
para abraçar tua ausência ! ...”
 
     O nosso “Trovador em Foco” de hoje (todos já sabem) é Cipriano Ferreira Gomes ! 
 ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 
 
Antonio de Oliveira
Trovas transcritas de livretos de concursos e do acervo de Izo Goldman