II CONCURSO “FALANDO DE TROVA” – 2015
(comemorativo aos dez anos do site www.falandodetrova.com.br)

            Chegamos ao final do II Concurso do site “Falando de Trova”, comemorativo aos DEZ anos, no ar, do nosso www.falandodetrova.com.br (2005/2015).
            O concurso exigiu um grau de dificuldade muito maior, propondo ao participante o envio de um conjunto de três composições: uma lírica, uma humorística e uma filosófica/outros.
            Foi formada uma Comissão Julgadora composta por gabaritados autores. Para que fique comprovada a capacidade dos mesmos, vamos apresentá-los um por um, cada qual acompanhado de uma trova de sua autoria.

1º AVALIADOR = ANTÔNIO DE OLIVEIRA – Rio Claro/SP
Queimado, o arbusto parece
ter, nos galhos, a expressão                       (1º lugar Intersedes Nacional 1998)
de mãos, que postas em prece,
rogaram clemência... em vão!
 
2º   AVALIADOR = MAURÍCIO CAVALHEIRO – Pindamonhangaba/SP
Tocou tuba a vida inteira
na banda; e era tão viciado,
que nos braços da enfermeira         (1º lugar em Nova Friburgo - 2011)
morreu feliz... Entubado.

3º   AVALIADOR = PAULO TARCÍZIO DA SILVA MARCONDES – Pindamonhangaba/SP
Quem nasce à beira dos rios,
aprende, daquelas águas,
a brilhar nos desafios
e cantar em meio às mágoas.

4º   AVALIADOR = MARCELO HENRIQUE – Amparo/SP
Quando a moral é mortiça
e se mascara em mortalhas,
a balança da Justiça
é gangorra dos canalhas!

5º   AVALIADOR = MARCELO ZANCONATO PINTO – Juiz de Fora/MG
Foi as matas devastando              
pior que qualquer queimada...                        (1º lugar Friburgo 1990) 
- Era um português tentando
achar a raiz quadrada!

6º   AVALIADOR = PEDRO MELLO – União da Vitória/PR
Se a Vida, em seus embaraços,
faz minha vida ser triste,                                 (1º lugar, em Nova Friburgo em 2010)
busco prazer em teus braços...
...e esqueço que a Vida existe...!

7º   AVALIADOR = PEDRO ORNELLAS – São Paulo
"Vai lá ver se chove ou não"     (1º lugar Friburgo 1998 - "Preguiça")
e o filho (também deitado):
"IR LÁ PRA QUE? Chama o cão
e vê se ele tá molhado!"

8º   AVALIADOR = SÉRGIO BERNARDO CORRÊA – Nova Friburgo/RJ
Diz "talvez". E ao dar-me as costas,            
nem suponho o que ela quer,                       (Vencedora em Bandeirantes/PR – 1995)
pois há um mundo de respostas
no talvez de uma mulher.

9º AVALIADOR = SÉRGIO FERREIRA DA SILVA – Santo André/SP
Escrito de próprio punho,            
mas na gaveta guardado,
o meu amor é um rascunho       (1º lugar Concurso dos Magníficos - Friburgo/2009)
que nunca foi publicado!

            Foram classificados, e serão contemplados com diplomas enviados, virtualmente ou via Correio, dez conjuntos a nível nacional/internacional e um trabalho a nível municipal.
            O concurso também concederá diploma aos autores da melhor trova lírica, melhor trova filosófica/outros e melhor trova humorística.
            Agradecemos, sensibilizados, aos cerca de setenta autores que conseguiram a proeza de criar um conjunto com tamanho grau de dificuldade e nos privilegiaram com suas honrosas participações. Assim como agradecemos à generosa e gratuita contribuição dos amigos empenhados em avaliar os trabalhos.
            José Ouverney e José Ouverney Junior enviam a todos um forte e fraterno abraço. E esperam contar sempre com a lealdade e o carinho de vocês. Vamos aos resultados.
OBS: por tratar-se de um concurso comemorativo, além dos dez classificados estamos divulgando também mais 26 conjuntos, por ordem de inscrição.

............................................................................................................

                          TEMA DEZ – CONJUNTO DE TRÊS TROVAS

1º lugar = ÉLBEA PRISCILA DE SOUSA E SILVA – Caçapava/SP
Numa carência incontida,
meu coração sonhador
troca dez anos de vida
por dez minutos de amor...

Compondo os dez mandamentos,
nos lega o Legislador
os seus próprios pensamentos
cuja essência é sempre o Amor!
 
Coroa testa o rapaz,
em exíguas duas peças:
- Quantos anos tu me dás?
- Dez a mais do que confessas...

2º lugar = THALMA TAVARES – São Simão/SP
És feita de amor, querida,
de amor da cabeça aos pés!...
E nas provas desta vida
tu és mulher nota dez!
 
Estes dedos que carrego
no extremo de cada mão,
são dez obreiros que emprego
na conquista de meu pão.
 
Dez vezes grita o bicheiro: 
“Olha o coelho, olha o veado”...
Passa o Coelho e diz cabreiro:
“Descobriram!... Tô ferrado!”

3º lugar = MILTON SOUZA – Porto Alegre/RS
Dez em tudo... A vida exige,
pois nota baixa é derrota...
Mas quem erra e se corrige
sempre aumenta a sua nota...
 
Tentei ser dez, com afinco,
em tudo aquilo que fiz...
Quase não passei dos cinco,
mas, mesmo assim, sou feliz...
 
Zero na escola... E o menino,
antes que o pai meta os pés,
vai mentindo bem ladino:
“- Faltou um para ser dez...”...

4º lugar = VANDA FAGUNDES QUEIROZ – Curitiba/PR
As graças de Deus não meço,
pois, mesmo sem merecer,
se dez favores eu peço...
tenho onze a agradecer!
 
Dez dedos sobre o teclado...
sete notas... emoção...
penso que um anjo inspirado
tocou no meu coração.
 
- Ô magro! - o "Dez", zombeteiro,
grita ao "Um"... que, em tom severo,
retruca: - Eu venho primeiro,
e não preciso de um zero...

5º lugar = MARIALICE VELLOSO – São Gonçalo/RJ
Nem nosso amor escapou
à Lei da Efemeridade.
Só por dez anos durou
e em seu lugar...só saudade.
 
Se, por amor, perdoaste
dez vezes ou muito mais,
com teu gesto tu dobraste
as bênçãos celestiais.
 
Dez anos... a diferença
que a diferença fazia.
Ela, uma fogueira intensa,
que ele não mais acendia.

6º lugar = WANDA DE PAULA MOURTHÉ – Belo Horizonte/MG
Na escala do teu amor,
se dez for a maior nota,
retribuo esse valor
com os juros de... agiota!
 
Número um é unidade,
zero, círculo perfeito.
Dez remete à Divindade,
a excelência do conceito.
 
– Dez filhos, baixo salário,
com a inflação atual?! 
– Meu marido é partidário
só da inflação sexual!

7º lugar = VANDA ALVES DA SILVA - Curitiba
Tardas, meu amor travesso,
sofro por tantas demoras,
mas pago ao tempo seu preço
na espera além das dez horas.
 
Em minhas mãos estendidas,
há histórias e mil segredos,
de velhas tramas urdidas
no tear dos meus dez dedos...
 
"- Com direito a dez na trova,
onde está a Índia, Nonato?"
E a confusão se comprova,
quando o aluno diz: "- No mato".

8º lugar = ERCY MARIA MARQUES DE FARIA – Bauru/SP
Numa luta destemida,
poupando cada vintém,
dos seus dez filhos na vida
os fez dez homens de bem!
 
Se os  Dez Mandamentos Teus
hoje fossem observados,
quantos transtornos, meu Deus,
não seriam evitados..
 
Maria não se casou...
Namorou Pedros,,,  Josés...
Pra “titia” não ficou,
pois filhos... já tem uns dez!!!

 
9º lugar = MARIA MADALENA FERREIRA – Magé/RJ
Se for preciso, meu Bem,
eu juro, agora, a teus pés,
que o teu amor vale Cem
multiplicado por Dez!!!
 
Faço da vida o que eu quero,
pois não me curvo ao revés!
- Enquanto meu medo é ZERO,
minha coragem... é DEZ!!!
 
Não que eu seja presunçosa,
mas ninguém chega aos meus pés!
Sou loira, linda e gostosa!
- Uma "GATA" NOTA DEZ!!!

10º lugar = DODORA GALINARI - Belo Horizonte
Se estou contigo abraçado,
por dez segundos ou eras,
o tempo fica parado
marcando só primaveras!
 
Dez mandamentos... eu sei;
mil vezes, devo lembrar.
Resumindo, há uma Lei -
"Obedeça ao Verbo AMAR!"
 
- Mãe, eu tirei nota dez,
dessa vez, eu "mandei bem"!!!
Mas, omitiu o viés:
valor da prova era cem.

..................................................

MELHOR TROVA LÍRICA = ÉLBEA PRISCILA DE SOUSA E SILVA – Caçapava/SP
Numa carência incontida,
meu coração sonhador
troca dez anos de vida
por dez minutos de amor...
MELHOR TROVA FILOSÓFICA/OUTROS = THALMA TAVARES – São Simão/SP
 Estes dedos que carrego
no extremo de cada mão,
são dez obreiros que emprego
na conquista de meu pão.

MELHOR TROVA HUMORÍSTICA = ÉLBEA PRISCILA DE SOUSA E SILVA – Caçapava/SP
Coroa testa o rapaz,
em exíguas duas peças:
- Quantos anos tu me dás?
- Dez a mais do que confessas...
...............................................

MELHOR CONJUNTO MUNICIPAL (Pindamonhangaba) – NÉLIO BESSANT

Não dei guarida à tristeza,
quando, há dez anos, partiste;
busquei, na vida, a beleza
e hoje sou feliz, não triste.

Ao falhar, não desistir;
o riso em lugar do pranto.
Se dez vezes eu cair,
outras dez eu me levanto.

-Paga “dez”! Diz o sargento
ao recruta meio tonto.
-“Dez” é muito; eu não aguento!
Só pago se der desconto!

OBS = À última hora um dos conjuntos anunciados como classificado foi substituído, entrando em seu lugar a trovadora Dodora Galinari, de Belo Horizonte.
Parabéns a todos os classificados e agradecimentos a todos os participantes.  Colocaremos, nas próximas horas, mais alguns conjuntos que concorreram, embora não tenham sido classificados.
======================================================

A SEGUIR, APRESENTAMOS MAIS 26 CONJUNTOS QUE TAMBÉM CONCORRERAM. LOGICAMENTE HÁ OUTROS AINDA MAS ESCOLHEMOS AQUELES COM MAIS PONTOS.
ESSES 26 NÃO APARECEM POR ORDEM DE CLASSIFICAÇÃO NEM ALFABÉTICA DE AUTORES, MAS SIM POR ORDEM DE INSCRIÇÃO. BOM ENTRETENIMENTO:

MESSIAS DA ROCHA – Juiz de Fora/MG
No nosso amor incomum,
se enfrentamos um revés,
nós dois parecemos um,
mas no embate somos dez!
 
Não bastam força e coragem,
para atingir seus intentos:
-só chega ao final da viagem
quem cumpre os dez mandamentos.
 
Seleção de Portugal:
o goleiro é Zé Crispim,
os outros, diz o jornal,
- nove Manés e um Joaquim!
 
JULIMAR ANDRADE VIEIRA -
Uma década de sonho
vivi, feliz, a teu lado.
Foste embora. Hoje, tristonho,
lembro os sonhos do passado.
 
Dez mil vezes eu teria
de dar meu perdão a quem
relega o mal que fazia
e passa a fazer o bem.
 
Fazer trovas?  Não me atrevo.
Não aprendi a "receita".
Em cada dez que eu escrevo,
uma, apenas, se aproveita.
 
GERALDO TROMBIN – Americana/SP
Dez segundos sem você
parece uma eternidade;
viver fica degradê,
perde toda intensidade!
 
Pra que brigar com o mundo
por causa de uns pontapés?!
Conselho: respire fundo...
e depois... conte até dez.
 
"Nove dedos", o ladrão,
não teve nenhum revés;
"meteu a mão" na nação

como se tivesse dez!
 

EDWEINE LOUREIRO – Saitana/Japão
Em um dia dez partiste,
pela doença levada.
Ó Senhor, como foi triste
ver morrer a minha amada!
 
Seja a nota do calouro
ou a camisa de Neymar:
será sempre o dez tesouro
que se deve preservar.
 
Com o boletim na mão,
de uma surra se livrou:
fez um “um” com perfeição

e o zero em dez transformou.
 

ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS – Maringá/PR
Dez é pouco... é quase nada...
Do começo ao fim do dia,
dez mil beijos, doce amada,
se pudesse, eu te daria!
 
Tenho dez dedos nas mãos,
dez dedos nos pés também.
Na trova, dez mil irmãos,
cada qual valendo cem!
 
Entre os dez, Moisés poria
hoje um mandamento nov o:
– Zere a trova que plagia

as anedotas do povo...
 

EDMAR JAPIASSÚ MAIA – Nova Friburgo/RJ
Prece, paz, flor, fruto, ventos,
ciúme, sonho, céu, amor,
mais Deus: -São DEZ mandamentos
nos versos de um  trovador!
 
Somos DEZ em torno à mesa,
rogando a Deus nos suprir
das migalhas que a pobreza
nos permite repartir!
 
Finda a coleta mensal
de ajuda aos desamparados,
a roubalheira foi tal
que vivem DEZ "amparados"!
------------------------------------------
 
FABIANO WANDERLEY – Natal/RN
Dez dias, já são passados,
por tua ausência, a dor me invade,
entre prantos, derramados,
pela angústia da saudade...
 
Quem se esforçou no colégio,
jamais sofrerá revés.
Terá sempre o privilégio,
dos frutos, da nota dez!
 
Usando das liturgias,
Deus, com grande decisão,
nem precisou de dez dias,
pra fazer a criação.
..............................
 
DÁGUIMA VERÔNICA – Santa Juliana/MG
Se dez vidas eu tivesse   
todas elas eu daria
ao meu pai e, se pudesse,
ao seu colo eu voltaria!
 
Ganharás teu galardão                
quando o pária, em seu revés,     
mudares, por tua mão,
em cidadão nota dez!
 
Dez mil vezes outra rinha
do velhote e a piriguete:
— de que vale ter bainha
se não tens o “canivete”?
 
NADIR GIOVANELLI – São José dos Campos/SP
A noviça enternecida,
tem nobreza de humildade;
dez anos de sua vida,
vive o amor e a caridade!
 
"Dez" Virgens!... Cinco prudentes,
mantêm com azeite a luz,
chamas da fé muito ardentes,
para o  Encontro com Jesus!
 
Nesta "dança dos famosos",
sem o dez da premiação,
sempre tem os desastrosos
que acabam beijando o chão...
.................................
 
 JOÃO COSTA - Saquarema
Ela é demais, dez em tudo!
Completa, não falta nada.
E o que é melhor, sobretudo,
ela é minha namorada!
***
Sei que é de luta teus dias
na conquista do sucesso.
De 1 a 10, quanto avalias
o teu empenho ao progresso?
***
Nesta crise, até mendigo
põe na esmola seu valor,
e há quem apele, à perigo:
- Um dez real, por favor!
............................
 
DIVENEI BOSELI – São Paulo
Os olhos com que incendeias
os meus, são provas cabais
da força com que me odeias
porque eu não te quero mais!
 
No cadinho, muito a custo,
descarto o que não condiz
com o ideal de ser justo,
se eu tiver que ser juiz!
 
Preciso saber com quem,
dia e hora,  leito e  idade,
pra que eu possa escolher bem
minha última vontade.
.........................
 
CIDA VILHENA – Cabedelo/PB
Dez anos não são dez dias:
sem nos ver, sem nos saber...
Tu me reconhecerias
só pelo meu escrever?
 
De remorsos, são isentos,
os que acham Filosofia
nas Tábuas dos Mandamentos:
nossas dez Leis da harmonia.
 
Há dez anos não se viam
(somente em redes sociais)
e assim não envelheciam,
nas velhas fotos...iguais.
..............................
 
PROFESSOR GARCIA – Caicó/RN
Dez anos!... Apenas dez...
E entre a infância e a adolescência,
quem busca luz aos teus pés,
acha a luz da inteligência!
 
Dez anos de amor, e apenas,
em tuas buscas e andanças,
tu catalogas centenas
de milhares de esperanças!
 
Com fama de fofoqueiro,
e com dez anos, somente...
Pareces moleque arteiro,
passando trote na gente!
..............................
 
RENATO ALVES – Rio de Janeiro
Dez anos só de alegria
e um casamento feliz,
junto a você noite e dia,
é tudo o que eu sempre quis!
 
Os números, infinitos,
no sistema decimal,
de dez em dez, sem conflitos,
medem tudo: o bem e o mal!
 
— Que horas são? Pergunta Luma.
Marido: — São DEZ, meu bem!
— Mas... o relógio deu uma!
— Quer ouvir zero também?!
................................
 
ADILSON R. GONÇALVES – Lorena/SP
Oh, musa dos dez encantos
traga-me a inspiração
para superar meus prantos
e renascer a emoção.
 
A base dez vem da mão,
dos dedos que computamos
para soma e subtração,
matemática que amamos!
 
- Que nota! o pai vai ralhar,
porém o filho argumenta
que se a vírgula tirar
é um dez que se apresenta...
............................
 
DULCÍDIO BARROS MOREIRA – Juiz de Fora
Após traumático parto,
enfrentando a realidade,
faz dez anos que reparto
com minha filha a saudade.
 
Moisés, no Monte Sinai,
em seus sagrados momentos,
dando voz às leis do Pai
revela os Dez Mandamentos.
 
Rejeita qualquer gatinha
pela esposa nota dez,
mas não dispensa a vizinha
que lhe faz uns cafunés.
..........................
 
WANDISLEY GARCIA – Jales/SP
Uma dezena de vezes
o nosso amor reviveu.
Um sonho de vários meses
não morre assim... Não morreu!
 
Que não durem por dez dias,
o sofrer vem das demoras...
Partidas são agonias
e é lento o passar das horas...
De grão em grão a galinha
vai depressa enchendo o papo,
de dez em dez a vizinha
vai logo virando um trapo.
...........................
 
LUCÍLIA DECARLI – Bandeirantes/PR
Num contraste desumano,
após dez anos de espera,
veio a morte e o desengano
com cores de primavera...
 
Conta até dez... fica mudo:
- o prudente nunca é louco...
Não queiras falar de tudo,
se, de tudo, sabes pouco!...
 
O escrivão fala e redige:
- Tem dez filhos, produtor...
Mouco, o sitiante corrige:
- "Trilhos", sim, tire o "doutor"!
..............................
 
PLÁCIDOFERREIRA DO AMARAL JR. – Caicó/RN
Há dez anos te conheço,
há dez anos eu pergunto:
"será, meu Deus, que mereço
sonho tão belo em conjunto?"
 
Em dez momentos tentei
este mundo consertar.
Em todos dez, deparei
co'a maldade do lugar...
 
Perguntaram quantas vezes
ela me deu pontapés.
"Só com sapatos franceses",
respondi, "bem mais de dez!"
................................
 
JOSAFÁ SOBREIRA – Rio de Janeiro
Meus dez retratos guardaste,
teus dez retratos rasguei...
Do teu peito me expulsaste,
mas, do meu, não te expulsei!...
 
Sou grato aos Dez Mandamentos,
que Cristo, em dois, converteu!
Sem quaisquer impedimentos,
adoro ao Deus que mos deu!
- Nenhum dez? Nem ao Vicente?
Isto é desalentador!
- Ora... e quem me deu presente
no Dia do Professor?
..............................
 
MATUSALÉM DIAS DE MOURA – Vitória/ES
És a minha nota dez
desde o início, a vida inteira,
no sucesso e no revés
sempre a mesma companheira.
 
Nos embates desta vida,
se me vem algum revés,
só volto ao campo da lida
após contar até dez.
 
Nota dez a teu sorriso,
disfarçando a gargalhada,
para não mostrar o siso
de ponta torta e furada.
...........................
 
ANTONIO CLARET MARQUES – Guaxupé/MG
Eu nunca me desespero
se me afundo num revés:
ao receber nota zero
quando pensava num dez.
 
Pregando os dez mandamentos
as palavras de Jesus
foram dez ensinamentos,
dez rumos plenos de luz!
 
Gabava ser um jumento
mas sofreu grande revés:
Liz diz que mede o instrumento
em centímetros nem dez.
........................
 
THEREZINHA TAVARES – Nova Friburgo/RJ
Tenho tudo na memória
e a emoção ainda atua...
Dez anos de bela história,
minha vida com a tua!
 
Ajude que é bom demais
mas sem cobrança sequer,
e faça dez vezes mais
o bem que sempre puder!
 
Por fazer o que não presta
o malandro do Tião,
em dez minutos de festa
foi expulso do salão.
...........................
 
ALBA HELENA CORRÊA – Niterói/RJ
Cada amor, igual às flores,
tem em si, diversidade;
foram dez os meus amores:
todos deixaram saudade!
 
Na família, dez irmãos:
cada qual com os seus jeitos...
Por Deus, os dedos das mãos
diferentes foram feitos...
 
Quase careca, o Campelo
chorou quando conferiu:
dos dez fios de cabelo,
só tinha nove... um sumiu!
............................
 
CAROLINA RAMOS – Santos/SP
Quem rouba um beijo é culpado,
e réu de pena incomum:
- quem teve o beijo roubado,
cobra juros - dez... por um!
 
Um... dois... três... conto até dez!
Com cautela nas respostas:
- quem me fere usando os pés,
também fere pelas costas!
 
- "Dez enfrento! E dou vantagem!..."
Mas, um dia, se danou...
gabava tanto a coragem...
- surdinha, a sogra o calou!
............................
 
SELMA PATTI SPINELLI – São Paulo
Dez anos de solidão,
e a razão não me contém
ao receber o cartão
em que estava escrito: - Vem!
 
Sorte, pássaro bizarro,
que não voa ao rés do chão...
Mas se passar, eu agarro
com os dez dedos da mão.
 
-"Jovem professor, humano,
nos atende a qualquer hora;
e esse professor decano
"deu o cano" e foi embora!