JOÃO MARTINS DE ALMEIDA  nasceu em Pinda, em 30/06/1918, filho de Domingos e Maria José Martins de Almeida. Cursou o Grupo Escolar Alfredo Pujol, formou-se na Escola de Comércio Dr. João Romeiro. Foi Diretor da Escola do Comércio e do Núcleo do SENA, Presidente da Sociedade Civil de Ensino de Pinda. Lançou vários livros, quase todos exaltando fatos e autores da Pindamonhangaba que ele tanto amou: Poetas de Pindamonhangaba (1952). Antologia dos Poetas Pindenses (1953), Vultos de Pindamonhangaba (1ª série em 1957 e a 2ª série em 1958), Quadros e Quadras (1958), Jucapiadas (1958) e Musa Antiga (1962). ! Filho de Domingos Martins de Almeida e Maria José Martins de Almeida. Morava à Av. Jorge Tibiriçá, 642. Em Pinda há uma tradicional escola com seu nome. Falecido em vinte de maio de 1969,  com apenas cinquenta anos.

Aliviai as penas duras,
meu Jesus, de todos nós.
Lembrai-vos das criaturas
que se esqueceram de Vós!

Essa chuvinha insistente,
que parece não ter fim,
é qual saudade pungente,
caindo dentro de mim.

Quando te vejo, suspiro,
e meu suspiro é sentido.
Ai, se o suspiro matasse,
há muito eu tinha morrido!

Estamos a sós... nós dois...
Por um beijo, eis-me a teus pés!
Lamentaremos depois,
se não trocarmos uns dez...

Sofrer é sentir que a vida
vai levando de roldão,
como numa despedida,
os sonhos do coração.

Depois de tanta desdita
fui chegar à conclusão,
ser o amor mentira escrita
no livro do coração.

Se me queres, minha flor,
dá-me a prova ambicionada.
O beijo é prova de amor
nos lábios cristalizada.

Estamos a sós... nós dois...
Por um beijo, eis-me a teus pés.
Lamentaremos depois
não termos trocado uns dez.

O sofrimento abre estradas
em descrentes corações.
As almas são dimandas
pelas mais chãs emoções.

Há crise de fé, de amor,
de sentimento profundo.
Gargalham a fome e ador
sobre os escombros do Mundo.

Bimbalha festivo o sino:
Natal! Natal! Anuncia.
É como se fora um hino
de paz, de amor, de alegria.