ALOÍSIO ALVES DA COSTA nasceu a 20 de novembro de 1935 em Umari/CE, filho de Vicente Alves da Costa e Vicência Alves Aranha. Ex militar da Marinha brasileira. Residiu por bom tempo em Nova Friburgo, onde iniciou suas atividades poéticas e obteve o honroso título de "Magnífico Trovador". Publicou "Cantigas de um sonhador" e "Cantigas de três patetas", este último em parceria.
Falecido no dia 24 de fevereiro de 2010 em Fortaleza.

LÍRICAS E FILOSÓFICAS

01
Mensagem de amor profundo,
nos deu o Mestre Divino...
O maior homem do mundo
antes foi pobre menino!...
02
Esta saudade infinita
do amor que a gente viveu,
é a mensagem mais bonita
que o meu passado viveu!...
03
Vencendo o tempo e a distância,
mensagens da mocidade,
sempre nos trazem da infância,
saudade ... muita saudade...
04
Mensagem que se recebe
e nos enche de quimeras,
é aquela em que se percebe
que as palavras são sinceras
05
Ante o medo que angustia,
talvez a grande mensagem,
fosse a que Deus nos diria ...
- Coragem, filho, coragem ...
06
Dói a saudade em meu peito
e eu canto, não silencio...
Quanto mais pedras no leito
mais alto o canto do rio!
07
Na tua ausência, ao meu lado
em cima da nossa mesa,
o candelabro apagado
mantém a saudade acesa.
08
Dentro da noite inclemente
De frio intenso e garoa,
o agrado de um beijo quente
garante que a noite é boa!...
09
- Pelas ruas da lembrança,
nas cirandas das calçadas,
saudade, sonho e esperança,
brincam juntos de mãos dadas!
10
- Quando o amor se faz lembrança
e a solidão nos invade,
ou se vive de esperança
ou se morre de saudade...
11
- Quando Deus fez da Trindade
a divina aventurança,
entre a fé e a caridade,
pôs em destaque a esperança...
12
- Na carta que ela me fez,
nas reticências sem fim,
a incerteza de um "talvez"
dá-me esperanças de um "sim"...
13
Na linha desta saudade,
que é tua e também é minha,
nós somos nós de verdade
nas duas pontas da linha!
14
Quando a lei se faz omissa
e a impunidade se solta,
do silêncio da justiça
surgem gritos de revolta...
15
Não condeno o revoltado
que defende seu direito...
-revolta de injustiçado,
merece todo respeito!
16
Quando instantes de carinho,
trazem saudades depois,
lembrança é viver sozinho
de um sonho vivido a dois.
17
Quando não vens, na ansiedade
desses momentos perversos,
vem a musa da saudade
pôr mais saudade em meus versos.
18
Agora que tu partiste
e a saudade está chegando,
desculpe o meu verso triste,
minha musa está chorando!...
19
Volátil, discreta e doce,
no instante certo, presente,
a musa é como se fosse
o anjo-da-guarda da gente...
20
As musas, não posso vê-las...
vivem num mundo distante...
mas posso além das estrelas
ouvi-las a todo instante
21
No momento doce e breve
que a inspiração nos invade,
dos versos que a gente escreve,
a musa escreve metade!...
22
Na luta contra a cobiça,
mantendo na alma a esperança,
meu desejo de justiça
é maior que o de vingança!
23
Partiste, chorando tanto,
no teu rumo oposto ao meu,
que, solidário ao teu pranto,
o céu fechou-se... e choveu...
24
Buscando instantes felizes     (1º lugar Concurso Magníficos 1994)
pelos caminhos tristonhos,
foram tantos meus deslizes
que tropecei nos meus sonhos!...
25
Teimei no amor... e errei tanto
na teimosia de amar,
que eu mesmo não sei mais quanto
errei tentando acertar!...
26
Partiste, cigana errante,
e de uma noite em teu leito,
restou-me um sonho distante
e esta saudade em meu peito!...
27
Meu sonho em mágoa desfeito,
tão grande fez meu desgosto,
que não cabendo em meu peito
se fez pranto no meu rosto!...
28
Feito de essência divina
e fluidos de eternidade,
um grande amor não termina,
mas se transforma em saudade!
29
Dando na alma embevecida,
laços de amor e amizade,
fui, na jangada da vida
um pescador de saudade!...
30
Sempre que a vida me nega
segurança nos meus passos,
minha esperança me pega
e me carrega nos braços!
31
Na luta contra a cobiça,
mantendo na alma a esperança,
meu desejo de justiça
é maior que o de vingança!
32
Quando a vida se complica         (2º lugar no Rio de Janeiro - 1983)
nas horas de solidão,
amigo é aquele que fica
depois que os outros se vão.
33
Não busques falso tesouro
se bens duráveis garimpas...
Nem sempre as mãos que têm ouro
e pedras raras, são limpas...
34
Castigado desde cedo,
tanto apanhei do destino,
que nunca tendo um brinquedo,
nem lembro que fui menino.
35
Bonança e paz sobre a terra
é tudo que peço a Deus,
para que as armas de guerra
virem peças de museus.
36
Nem ouro, nem pedra rara,
nada que vem do garimpo,
vale um fio de água clara
no leito de um rio limpo...
37
Quando a voz de um pai ressoa
e a de um filho abaixa o tom,
conselho é semente boa,
plantada em terreno bom!
38
Sou de onde o vento trabalha,
lá onde a brisa fagueira
embala de leve a palha,
beijando a carnaubeira! ...
39
Teu olhar... a voz macia...
tuas promessas de amor...
- são notas de fantasia
na pauta da minha dor.
40
Dos ideais o maior
é viver, lutar, e, após,
deixar um mundo melhor
aos que vêm depois de nós.
41
Creio em Deus, unicamente
não ando rezando à-toa...
- tenho uma alma que sente
e um coração que perdoa!
42
Somente um bem acontece
quando a gente cai doente:
doente é que se conhece
quem é amigo da gente.
43
Pelos motivo da guerra
e pela falta de pão,
não culpo quem fez a terra,
mas quem fez a divisão.
44
Amarela é a cor mais bela
e é fácil de soletrar:
- é bastante unir com "Ela",
as letras do verbo "Amar"!...
45 
Feliz é quem, pela vida,
envelhecendo sem fugas,                (5º lugar em Natal/RN - 1991)
alegre e de fronte erguida,
zomba do espelho e das rugas.
46
Não preciso, mãe, no templo,          (co-vencedora em Niterói - 1974)
rezar tanto de joelhos...
- Minha luz é o teu exemplo,
minha prece os teus conselhos!...
47
O que se diz virtuoso,
mesmo dizendo a verdade,             (9º lugar em Pouso Alegre -1978)
perde, por ser orgulhoso,
a virtude da humildade!... 
48 
Chegada bem mais feliz,
bem mais alegre, suponho,               (Menção Especial em Pouso Alegre - 1980)
é a de quem faz o que eu fiz:
- cheguei trazendo o meu sonho!...
49
Aos sonhos nunca se apegue,            (co-vencedora UBT Rio de Janeiro - 1986)
que eles se vão de repente...
e sonho que se persegue
é o que mais foge da gente!...
50
Peço a Deus que o tempo corra,        (Menção Especial no Rio de Janeiro - 1979)
e corra a nosso favor,
para que este amor não morra
antes que eu morra de amor!...
----------------------------------------------------------

HUMORÍSTICAS

01
Quem não aprende em menino,
tem que aprender na velhice,
que ter pai pobre é destino,
mas sogro pobre é burrice!...
02
Minha irmã conta as topadas,
que já deu pelos caminhos,
pelas pedras arrancadas...
- E eu conto, pelos sobrinhos!...
03
Sambando quase pelada,
no 'No bloco do vai sem medo",
Paulete foi mais cantada
que o refrão do samba enredo..
04
Quando a noiva viu a cama
que a esperava pra dormir,
mandou sustar o proclama
e desistiu do faquir!...
05
Na farmácia, ao ver o busto
da balconista, hesitante,
em vez de xarope, o Augusto
pediu mesmo foi calmante!...
06
O que faz eu ter ciúme
da Rosinha - diz o Freire:
- É que a Rosa tem perfume
mas não é flor que se cheire...
07
Sendo orador de alta escala,
é tão profundo e erudito,
que a gente, quando ele fala,
só entende o... "tenho dito".
08
Era uma vez uma dona
que andava a pé, sem ninguém;
e tanto pediu carona,
que ganhou carro também! ...
09
Dos jogos o mais nocivo,
até hoje, em meu caminho,
tem sido o rebolativo
da mulher do meu vizinho!
10
Enquanto o Zé Liberato
sai em busca da gatinha,
pela janela entra um gato
que janta a sua sardinha!
11
Vejo em ti, coroa rica,
dois males que não têm cura:
- capa de pura pelica,
- cara de pelanca pura!
12
Já diz o velho ditado,
que lenha verde e viúva,
com paciência e cuidado
pegam fogo até na chuva!...
13
Preguiçoso, o "ZÉ PIJAMA",
Tanta preguiça agasalha,
Que a mulher só não reclama
Porque o vizinho trabalha.
14
Passa o tempo, a idade avança...
e na velhice inclemente,
a velha, numa cobrança
mata o velho... inadimplente...
15
Toda noite na gandaia,
vai muito mal a Loló...
Pois perdeu além da saia
outras coisas no forró.
16
Na tumba da falecida,
o esposo ciumento, à porta,
murmura: - Volta, querida.
E ela responde: - Nem morta!
17
Na falta de frangos pretos,
Joaquim põe tinta num tacho
e vai tingindo os galetos
que vende para o despacho!
18
O pão-durismo da Aurora
não tem limite, eu duvido:
volta-e-meia dorme fora,
para poupar o marido...
19
O meu cansaço é tamanho,
que, na mesma caminhada,
eu quase não acompanho
minha sombra na calçada!
20
Ao se pesar, a Constança,
que é gorda e não pesa pouco,
comenta, sobre a balança:
- Esse ponteiro está louco!...
21 - "Dúvida"
Zé Foguista, abrindo o jogo,        (co-vencedora UBT Rio de Janeiro - 1990)
da mulher duvida tanto,
que não põe a mão no fogo
nem com luva de amianto!...
22
Se o telefone falasse
o que nele a gente fala,
duvido que alguém deixasse      (2º lugar em São Bernardo do Campo/SP - 1979
o telefone na sala!...
23
Num armário sem conforto,
do qual não guardo saudade,      (M. Honrosa em São Bernardo do Campo - 1983)
guardado, me fiz de morto,
pra não morrer de verdade...