ÂMBITO NACIONAL = TEMA: "JANGADA"

V e n c e d o r e s
  Tombam jangadas ao vento;
  muitas não podem voltar.
  Por isso há tanto lamento
  na voz das ondas do mar.
Hegel Pontes – Juiz de Fora/MG

  No alto mar ou enseada...
  Na calma ou na tempestade...
-   A velhice é uma jangada
  carregada de saudade!
Héron Patrício – São Paulo/SP

  Mesmo ante o furor medonho
  de um mar que raivoso freme,
  solto a jangada de um sonho
  e o sonho conduz meu leme!
Rita Mourão- Ribeirão Preto/SP

  A vida é “jangada ao vento”...
  Iço a vela, aperto o laço:
  No mar do meu pensamento,
  o vento... sou eu que faço!
Roberto Tchepelentyky – São Paulo/SP

Vai jangada, segue, avança,
mesmo que o vento não deixe;
que o mar da vida é esperança
de cada um ter seu peixe!
Selma Patti Spinelli– São Paulo/SP
 

Menções Honrosas

  Jangada, nesta magia
  de enfrentar a imensidão,
  tu és a própria ousadia
  em forma de embarcação.
Arlindo Tadeu Hagen – Belo Horizonte/MG

  Na jangada em miniatura,
  a canivete entalhada,
  revive cada aventura
  vivida em outra jangada...
Darly O. Barros– São Paulo/SP

  Como simples jangadeiro,
  no mar das paixões da vida
  vou ficando sem roteiro,
  numa jangada perdida...
Geraldo Lyra– Recife/PE
  
Sempre otimista, na vida,
enfrento qualquer maré:
minha jangada é movida
pelos impulsos da fé!...
José Tavares de Lima– Juiz de Fora / MG

Fracassei ...! E a gente aprende
que por um mar traiçoeiro,
o destino não depende
só das mãos do jangadeiro...
Manoel Cavalcante de Castro

Minha jangada à distância,
(velha tábua na enxurrada)
remada por mãos da infância
foi bem mais do que jangada!
Rita Mourão- Ribeirão Preto / SP
 

Menções Especiais

  A jangada é o meu sustento,
  e eu peço em minha oração:
  que no mar não falte o vento,
  na mesa não falte o pão.
Antonio Claret Marques– Guaxupé/MG

  Flutua a jangada em paz
  e prova, nesta viagem,
  com quantas tábuas se faz
  a canoa da coragem.
Arlindo Tadeu Hagen  - B.Horizonte/MG

  Na ilusão de ser amada,
  Eu não desisto jamais;
  fiz da esperança, jangada,
  rumo aos teus braços, meu cais!
Domitilla B. Beltrame – São Paulo/SP

  A jangada se afastava,
  pois meu pai ia pescar;
  tão longe, que até pensava
  que ele era o dono do mar.
Hegel Pontes– Juiz de Fora/MG

  Enquanto a mente divaga,
  vou na jangada a sonhar,
  mas nenhum sonho naufraga
  nas tempestades do mar.
José Lucas de Barros– Natal/RN

  Nos turvos rios da vida,
  entre acertos e fracassos,
  eu sou jangada perdida
  que busca o mar dos teus braços!
Maria Helena O. Costa– Ponta Grossa/PR

Um pintor, em seu delírio,
  ante a jangada a vogar,
  pensou ver um branco lírio
  na tela imensa do mar.
Marina Bruna- São Paulo/SP

  Mesmo em meio ao mar fremente,
  se a “pescaria” me apraz,
  coloco o sonho na frente,
  e a jangada segue atrás.
Wandira Fagundes Queiroz– Curitiba/PR
--------------------------------------------------------------

Âmbito Estadual / Tema: AFAGO

V e n c e d o r e s
  
  Anoitece ... e sem alarde
  o sol que é dono da rua,
  atrasa o passo da tarde
  e afaga o rosto da lua!
Adilson  Maia – Niterói

  Amo essa mão que me alisa!...
  Quanta ternura em seus dedos!...
  - Possui, do afago da brisa,
  os mais suaves segredos!...
Cléber  R.de Oliveira – São João de Meriti

  Brilha o sol, depois de posto,
  se os dedos de uma criança,
  vão reacendendo o meu rosto
  com afagos de esperança.
Joana D’arc da Veiga - Nova Friburgo

  Quando, ardoroso, me afagas,
  sem leme e sem direção,
  sou barco à mercê das vagas,
  no intenso mar da paixão!
Lourdes Regina F.Gutbrod - Rio de Janeiro

  Por amor, segui teus passos
  afagando uma ilusão
  de que estando nos teus braços
  chegaria ao coração.
Maria Nascimento Carvalho – Rio de Janeiro

  Foram tantos os estragos
  que o teu amor me causou,
  que hoje maldigo os afagos
  e a mão falsa que afagou...
Maria Nascimento Carvalho – Rio de Janeiro
 

Menções Honrosas

  Os teus afagos de amor,
  mesmo vindos de mãos puras,
  fazem, de mim, pecador:
  pois sonho com mil loucuras!!!           
(Alba Helena Corrêa – Niterói)

  Como os sentidos não mentem,
  sofrendo, em apelos vãos,
  meus cabelos ainda sentem
  o afago das tuas mãos.                
(Almerinda Liporage – Rio de Janeiro)

  Vi cada qual mais disposto
  naquele afago sem freios:
  - o vento, a beijar-lhe o rosto,
  o mar, a cingir-lhe os seios!         
(Ederson Cardoso de Lima  - Niterói)

  O tempo que tudo apaga,
  promovendo o esquecimento,
  em vez de apagar afaga
  teu nome em meu pensamento.                     
(João Costa – Saquarema)

  Tudo acabado entre nós!
Restou no fim desta história
o afago da tua voz
gravado em minha memória...            
(Larissa Loretti - Rio de Janeiro)

É disso que só preciso,
é meu desejo profundo:
o afago do teu sorriso
acarinhando meu mundo!                   
(Larissa Loretti - Rio de Janeiro)

Entre as lembranças que trago
a sete chaves, com gosto,
eu guardo o primeiro afago
  que tu fizeste em meu rosto!!!            
(Maria Madalena Ferreira – Magé)

Afagando umas lembranças
do tempo da mocidade,
só fiz trocar esperanças
por momentos de saudade...       
(Maria Nascimento S. Carvalho – Rio)

Nossos afagos exalto,
sem ritos ou convenções,
pois sempre falam mais alto
do que mil declarações!                  
(Rodolpho Abbud - Nova Friburgo)
 

Menções Especiais

  Quando me afagas, querida,
sinto, por dentro, um calor
que, em pleno ocaso da vida,
faz-se brasa o nosso amor!                                   
(Alba Helena Corrêa)

Supera a tristeza e a dor
aquela mãe que se entrega,
quando mostra o seu amor
afagando a filha cega...                                         
(Giovanelli - Nova Friburgo)

Tenho ciúme e desgosto,
quando, à noite, leve brisa
afaga o teu meigo rosto
  e os teus cabelos alisa.            
(Jessé Fernandes do Nascimento – A.dosReis)

Meus versos, com todo afago,
jogando a tristeza fora...
São como luzes que apago,
mandando as mágoas embora!
João Batista Vasconcellos - Nova Friburgo

  Meu amor jamais se apaga,
mesmo ante um sonho a ruir.
Novo sonho inventa e afaga
e a vida volta a sorrir!
João Costa - Saquarema

Foste embora... e não te apago,
pois em tudo estás presente.
Cada lembrança é um afago
para a minha alma carente.
Lourdes Regina F.Gutbrod - Rio de Janeiro

Nas noites quentes de estio,
a brisa – cheia de afagos... –
põe sensações de arrepio
 na superfície dos lagos!!!
Maria Madalena Ferreira – Magé

A mão que brande uma espada,
fere, mata ou causa dor
também pode, em sua amada,
fazer afagos de amor...
Renato Alves - Rio de Janeiro

Em minha saudade eu trago,
minha mãe – quantos desvelos! –
teus dedos cheios de afago
nos anéis de meus cabelos...
Sérgio Fonseca – Mesquita

--------------------------------
Informações gentilmente enviadas por Renato Alves, da UBT Rio de Janeiro, atendendo à nossa solicitação, em 14/12/2012.