CONCURSO DE TROVA UBT PEDRALVA - 2007

Tema – Trovas começadas pela letra X e pela letra
(relações por ordem alfabética de autores, em todos os segmentos) 

 

VENCEDORES - Letra X

Xícaras postas na mesa
e o café sobre o fogão...
Só não agüento a incerteza
se você virá ou não.
==== Antonio Seixas – Magé (RJ)

Xeque-mate, sem saída,
me entrego, todo humildade,
se o tabuleiro é o da vida,
se o contendor é a saudade...
====Élbea Priscila – Caçapava (SP)

Xodó antigo, de infância,
que floriu na mocidade,
pela seca da distância feneceu...
virou saudade! ==== Héron Patrício – S. Paulo (SP)

Xingo os governos cruéis
batendo só nesta tecla:
- Mais útil que mil quartéis
é uma biblioteca!...
==== Nazareno Tourinho – Belém (PA)

Xeque-mate me aplicaste
quando, no jogo da vida,
com teu adeus te tornaste
minha rainha perdida.
==== Sandro Rebel – Niterói (RJ)

 

MENÇÕES HONROSAS – Letra X

Xingar, sempre, a escuridão
sem acender tua luz
é sinal de alienação,
a lugar nenhum conduz.
==== Alfredo Barbieri – Taubaté (SP)

- XEQUE-MATE!... deu-me a sorte,
quando a vida, em má jogada,
fez a ambição meu suporte...
e eu mexi a peça errada!
==== Edmar Japiassú Maia – Rio (RJ)

Xô saudade! Vai embora!
Ela partiu. Me deixou...
E tudo o que resta agora
é o “eu” que fui, mas... não sou...
==== Izo Goldman – S. Paulo (SP)

Xeretear nossos passados,
remexer cinzas da idade,
cavar sonhos sepultados... ...
isso se chama SAUDADE!
==== João Paulo Ouverney – Pinda (SP)

Xi... virei-me tão depressa
ao ver teu vulto passar,
que me tornei ré confessa
no meu segredo de amar.
==== Walneide Fagundes – Curitiba (PR)

 

MENÇÕES ESPECIAIS – Letra X

Xarope faz bem ao peito,
da tosse alivia a dor,
mas numa dor não dá jeito,
a que vem de um mal de amor!
===Antonio Carlos T. Pinto – Brasília (DF)

Xícaras brancas na mesa
e o pão, cortado em fatias,
ornam de inútil beleza
nossas cadeiras vazias!
==== Antonio de Oliveira – Rio Claro (SP)

Xale azul, se acaricio
tua franja longa e bela,
parece que em cada fio
se esconde o perfume dela...
==== Ercy Maria Marques – Bauru (SP)

Xinguei você – puxa vida! –
por um beijo me roubar;
hoje, muito arrependida,
mil beijos quero te dar.
==== Neiva Fernandes – Campos (RJ)

Xícaras, duas... Dois pratos...
E nós dois no desjejum...
Cena que hoje são retratos
na mesa posta para um..
==== Sérgio Bernardo – Nova Friburgo (RJ)

=======================================

VENCEDORES – Letra Z

Zerai os ressentimentos
e as mágoas do coração...
- Sem rancores, os bons ventos
novamente soprarão!
==== A A de Assis – Maringá (PR)

Zumbindo sobre as corolas,
de delicada beleza,
os insetos são violas
na orquestra da Natureza!
=== Angélica Maria Rebello – Taubaté (SP)

Zune o vento – na janela...
Zumbe a abelha – no jardim...
Zarpa a nau – rumo à procela...
- Zomba a saudade... de mim!...
=== Maria Madalena Ferreira – Magé (RJ)

Zerei a antiga emoção,
que marcou tempos tristonhos...
e dei ao meu coração
a chance de novos sonhos!
=== Vanda Fagundes Queiroz – Curitiba (PR)

Zombei da felicidade
pensando que era utopia,
mas hoje sei que a verdade
é vivê-la... dia-a-dia...
==== Wilson Di Cali – Guarulhos (SP)

 

MENÇÕES HONROSAS – Letra Z

Zanga de amor é inconstante,
passageira e faz de conta:
basta um chamego e num instante
todo carinho desponta.
=== Alfredo Barbieri – Taubaté (SP)

Zarpei, em hora furtiva,
no meu barco de emoções...
E hoje navego, à deriva,
o mar das desilusões!
=== Edmar Japiassú Maia – Rio (RJ)

Zeus quer criar a Beleza!...
Como é um deus, faz o que quer!
Junta a ternura, a pureza
e o amor... faz a Mulher!
==== Izo Goldman – S. Paulo (SP)

Zéfiro da tarde mansa!
Por favor, sopra esta vela
e leva ao mar da esperança
minha triste caravela!
==== Marina Bruna – S. Paulo (SP)

Zune o vento... a noite é fria,
e a vela ardendo até o fim,
cede o lume a mais um dia
sem que voltes para mim.
==== Walneide Fagundes – Curitiba (PR)

 

MENÇÕES ESPECIAIS – Letra Z

Zebra é conversa fiada,
a sorte é a gente que faz.
Se quiser ser sorteada
procure trabalho e paz!
==== Ana Helena Vieira – Cambuci (RJ)

Zombaria é crueldade,
respeite o velho e seus ais.
Já basta o peso da idade
que o faz sofrer por demais.
==== Campos Sales – S. Paulo (SP)

Zumbindo a abelhinha voa,
pondo um beijo em cada flor,
e nesse zum-zum à toa,
vai-lhes roubando o dulçor.
==== Dorothy Moretti – Sorocaba (SP)

Zelar pela natureza:
eis aí nossa missão.
Deus fez tudo com grandeza
pra nossa sustentação.
==== José Monteiro – Nova Friburgo (RJ)

Zeloso dos filhos Seus,
legou-lhes um bem fecundo:
Poesia, adorno de Deus
para dar beleza ao mundo.
==== Wanda Mourthé – B. Horizonte (MG)