XX JOGOS FLORAIS DE RIBEIRÃO PRETO - 2007

ÂMBITO NACIONAL = TEMA "ÁRVORE"

1º lugar
Brincando, na meninice,
uma árvore plantei...
Na solidão da velhice,
à sua sombra eu chorei...
Therezinha Dieguez Brisolla – São Paulo/SP

2º lugar
Devastando as matas vai
a espécie humana e, nem sente
que, em cada árvore que cai,
morre uma amiga da gente!...
José Tavares de Lima - Juiz de Fora/MG

3º lugar
Da verde árvore à ramada,
do tronco altivo às raízes,
quando uma árvore é ceifada
deixa, no chão,cicatrizes...
Héron Patrício – São Paulo/SP

4º lugar
Busco ser, na minha trilha,
o inverso de quem desmata:
-Toda árvore é minha filha,
e um filho não se maltrata...
Sérgio Bernardo – Nova Friburgo/RJ

5º lugar
Para o retirante é certo
que a árvore neste verão
é qual um sombreiro aberto
que Deus botou no sertão.
Ademar Macedo – Natal/RN

Menções Honrosas

Árvore, seiva da vida,
que o mundo todo embeleza!
Quer com frutos, quer florida,
é riqueza que se preza!
Angélica Maria Villela Rebello Santos – Taubaté/SP

Ao ver, de uma árvore, o corte,
minha angústia é paralela...
Eu sinto as dores da morte,
na dor dos gemidos dela!
Francisco Neves de Macedo – Natal/RN

Árvore... da terra abrigo,
que insensato o homem destrói,
pondo a vida ao desabrigo...
desatino, que corrói!
Maria da Conceição Fagundes – Curitiba/PR

Árvore velha, esquecida,
guardo por ti tanto afeto...
Foste, um dia, em ,minha vida,
meu melhor e único teto.
Nélio BessanT - Pindamonhangaba/SP

A “minha” árvore revia
na pracinha da cidade,
e enternecida eu sentia
os soluços da saudade.
Jupyra Vasconcelos – Belo Horizonte/MG

Menção Especial

O filho que Deus nos deu
é flor da árvore da vida...
raiz e tronco sou eu,
a seiva é você, querida!
Renato Alves – Rio de Janeiro/RJ

A árvore onde eu gravara
o seu nome junto ao meu,
como o amor que me jurara,
infelizmente... morreu.
Maurício Cavalheiro – Pindamonhangaba/SP

Sombra da árvore frondosa...
Sonhos da infância distante...
Quanta lembrança saudosa
traz o tempo a todo instante!
Relva do Egypto Rezende Silveira - Belo Horizonte/MG

Velha árvore, quase morta,
que a viu partir da tapera...
só tu sabes, junto à porta,
o quanto é inútil a espera!
Sérgio Bernardo - Nova Friburgo-RJ

Sem ter alguém que me acolha
no mais completo abandono,
sinto-me árvore sem folha
nos tristes dias de outono.
Francisco José Pessoa – Fortaleza- CE