VI CONCURSO NACIONAL DE TROVAS DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA - 1996
(todos os classificados se apresentam por ordem alfabética)
 
CONCURSO  ESTADUAL = TEMA:  "CALMARIA"
(COMISSÃO JULGADORA: Almerinda Liporage, Arlindo Tadeu Hagen, Heloísa Zanconato Pinto, Vanda Fagundes Queiroz e Waldir Neves)
 
VENCEDORES:
 
ANTONIO DE OLIVEIRA - São Paulo
O lençol, conforme o assentas,
traz-me a imagem fugidia
de um mar que, após as tormentas,
amanhece em calmaria!
 
CAROLINA RAMOS - Santos
Sacode o teu dia a dia,
foge ao marasmo do nada,
que nem sempre a calmaria
traz consigo a paz sonhada!...
 
CAROLINA RAMOS
Não te iluda a calmaria,
por mais que o silêncio a abone,
pode a paz que te extasia
ser o centro de um ciclone!...
 
MARIA HELEZA CALAZANS M. DUARTE - São Paulo
Lembra, irmão, se nós perdermos
tudo, até o amor mais certo,
que a calmaria dos ermos
deixa as estrelas mais perto.
 
MARIA REGINATO LABRUCIANO - São Paulo
Na calmaria, presumo,
viver é sempre banal;
penoso é manter o rumo,
no meio do vendaval.
 
SEBAS SUNDFELD - Tambaú
Numa languidez vadia,
o mar, em hora mortiça,
no lençol da calmaria
longamente se espreguiça.
 
 
MENÇÕES   HONROSAS:
 
ADÉLIA VICTÓRIA FERREIRA - São Paulo
Esperança... Calmaria,
tensa, aguardando a explosão
de um temporal de alegria
que pode chegar... ou não.
 
ALBA CHRISTINA CAMPOS NETTO - São Paulo
Meu destino é um desatento
marinheiro em fantasias,
baixa as velas quando há vento
e as solta nas calmarias...
 
ALTAIR FERNANDES CARVALHO - Pindamonhangaba
Bom marujo não se entrega
nem gosta de calmaria,
pois sabe que é na refrega
que se molda a valentia.
 
IVAN PARREIRAS DE CARVALHO - Casa Branca
Calmaria é a desventura
de um barco que mesmo ao vento,
pasmado, de quilha dura,
não faz qualquer movimento...
 
SEBAS SUNDFELD
Às vezes, em nossa vida,
existe, sem solução,
uma inquietude escondida
na calma da solidão.
 
 
MENÇÕES   ESPECIAIS:
 
AURORA PIERRE ARTESE - São Paulo
No vai e vem doentio
da cadeira que balança,
a saudade, meu navio,
na calmaria descansa.
 
ÉLBEA PRISCILA DE SOUSA E SILVA - Caçapava
Nosso amor, um barco a velas
sem rumo, dia após dia,
vencendo duras procelas
foi a pique em calmaria...
 
HERIBALDO GERBASI - São Paulo
Mar e amor!... triste igualdade
nos caprichos e ironia:
em ambos, a tempestade
vem depois da calmaria.
 
LANNOY DORIN - Jundiaí
É nas horas de tumulto,
que aparece à luz do dia
o inimigo sempre oculto
em dias de calmaria.
 
PEDRO ORNELLAS - São Paulo
Já calmo, o furor contido,
o mesmo mar que golpeia,
num gesto de arrependido
deixa os destroços na areia!
 
.........................................
 
CONCURSO  NACIONAL = TEMA:  "TORMENTA"
(COMISSÃO JULGADORA: Domitilla Borges Beltrame, Izo Goldman, Sebas Sundfeld, Silvina Antunes Leal e Thalma Tavares)
 
ALMERINDA F. LIPORAGE - Rio de Janeiro
A tormenta desabou
e a culpei porque faltaste.
Que injustiça... o sol voltou,
e tu nunca mais voltaste...
 
ANTONIO CARLOS TEIXEIRA PINTO - Niterói
Quando cessar a tormenta
e amainarem nossas crises,
tem pena de nós: inventa
que ainda somos felizes!
 
EDMAR JAPIASSÚ MAIA - Rio de Janeiro
Montei um jogo em menino,
de sonhos e de promessas...
E a tormenta do destino
espalhou todas as peças!
 
EUGÊNIA MARIA RODRIGUES - Rio Novo/MG
Tive um destino cruel,
tormenta... desesperanças:
quis ser tua Rapunzel
e a sorte cortou-me as tranças!
 
SANTOS TEODÓSIO - Brumadinho/MG
Passa a Maria da Graça
risonha e cheia de vida,
mas na graça que nos passa
quanta tormenta escondida!
 
 
MENÇÕES   HONROSAS:
 
ADELIR MACHADO - Niterói
São, suas cartas marcadas...
- que a saudade já não lê -
tormentas envelopadas
que hoje devolvo a você.
 
ANTONIO CARLOS TEIXEIRA PINTO
Faz tanto tempo... A tormenta
daquela vez foi cruel:
- arrastou, na água barrenta,
toda a esquadra de papel!
 
LUIZ PIZZOTTI FRAZÃO - Niterói
As almas que em Deus se orientam
são assim, por sua fé,
como as palmeiras, que enfrentam
qualquer tormenta... de pé!
 
NEIDE ROCHA PORTUGAL - Bandeirantes/PR
O rio passa... arrebenta,
causando estragos, desgostos,
e, quando passa a tormenta,
brotam riachos... nos rostos.
 
NEWTON MEYER AZEVEDO - Pouso Alegre/MG
Desabando sobre a Terra
inclemente, mas fugaz,
a tormenta impõe à guerra
alguns momentos de paz...
 
 
MENÇÕES   ESPECIAIS:
 
ANTONIO BISPO DOS SANTOS - Niterói
Enquanto passa a tormenta
que me arrasa a mocidade,
este meu sonho ainda aguenta
a ressaca da saudade.
 
CLARINDO BATISTA DE ARAÚJO - Natal/RN
Nesta tormentosa estrada
que, por desdita trafego,
tu és a cruz mais pesada
que ao meu calvário carrego!
 
JOSÉ MARIA FONSECA DOMINGOS - Faro/Portugal
Em vaga de amor violenta,
peço à mulher por quem morro
que me acalme esta tormenta
com um beijo de socorro.
 
JOSÉ TAVARES DE LIMA - Juiz de Fora
Teu adeus me desalenta;
deixa em minha alma arrasada
o efeito de uma tormenta
sobre uma frágil jangada...
 
MARISOL - Teresópolis/RJ
Foi assim desde menino:
fiz meus castelos risonhos
e as tormentas do destino
sempre esmagfaram meus sonhos.
 
=====================================
Informações fornecidas pelo poeta Antonio de Oliveira, de Rio Claro/SP