XII JOGOS FLORAIS DE SANTOS  =  1987
(as menções estão em ordem alfabética)

CONCURSO  NACIONAL = TEMA:  "CÉU"

Eu sou pequeno, Seu Moço,
mas quando tiro o chapéu,
minha alma estica o pescoço
e enxerga Deus lá no Céu!
1º lugar: JOSÉ MESSIAS BRAZ - Pouso Alegre

Promessas... beijos... Depois
tudo acbaste sem dó.
E o Céu, pertença de dois,
virou inferno de um só.
2º lugar: MARIA HELENA - Portugal

Cai a estrela!... E o céu, magoado,
pelo que a perda produz,
chora um pranto iluminado
naquele rastro de luz!...
3º lugar: EDMAR JAPIASSÚ MAIA - RJ

Da terr ao Céu - que distância!
Tão grande, mas, mesmo assim,
pude vencê-la, na infância,
quando o céu morava em mim...
4º lugar: OCTÁVIO BABO FILHO - RJ

Tão grande o amor que vivemos...
tão infinito e profundo
que lá no céu viveremos
o que sobrar desse mundo!
5º lugar: ALMERINDA LIPORAGE (Tita) - RJ

MENÇÕES   HONROSAS

O céu é longe, porém,
uma coisa descobri:
pelo caminho do Bmem,
esse longe é logo ali.
APRYGIO - NOGUEIRA - Pouso Alegre

Felicidade sofrida,
apenas porque nós dois,
tendo o Céu em nossa vida,
só fomos vê-lo depois...
ELZA BRIGGS TONELLI - Niterói

O Trovador, eu suponho,
é um arquiteto em ação,
que faz de cacos de sonho
arranha-céus de ilusão.
JOSÉ MESSIAS BRAZ

Céus e terras revolvi,
tombei moinhos tristonhos...
Quixote do amor, venci
montando o alazão dos sonhos!
LINDA BRANDÃO DIAS - Nova Friburgo

O Homem foi, de teste em teste,
lançando cinzas ao vento...
E de um céu azul-celeste
fez um céu azul-cinzento...
LUNA FERNANDES - RJ  NEY DAMASCENO - RJ

Fito, no céu, as estrelas
e, ante o mistério divino,
mais me convenço, após vê-las,
do quanto eu sou pequenino!
NEY DAMASCENO - RJ

O céu aceso no pasto,
a unir milhões de vidrilhos,
campeia meu sonho gasto,
com seu chicote de brilhos...
PAULO CESAR OUVERNEY - Juiz de Fora

Quase ao fim dos nossos prazos,
nosso céu tem luz ainda...
Juntando os nossos ocasos,
a noite será mais linda1...
RODOLPHO ABBUD - Nova Friburgo

Tendo os conflitos por centro,
há quem, no lar em que mora,
coloque o inferno lá dentro
mas sonhe o céu que há lá fora!
SÉRGIO CORRÊA MIRANDA FILHO - Nova Friburgo

Tenho um chãozinho singelo,
que ao meu suor floresceu.
Não é rico... não é belo...
mas, é meu Céu, porque é meu!
WALDIR NEVES - RJ

MENÇÕES   ESPECIAIS

Visto de luz a lembrança...
E a saudade agradecida,
com estrelas de esperança
faz um céu da minha vida.
ADELIR MACHADO - Niterói

Em teu olhar se reflete
uma intenção singular:
é que ele, um céu me promete...
mas me convida a pecar!
CARLINDA LAMEGO - RJ

Seca inclemente... Nem prece
traz a chuva de retorno,
e o céu, no Norte, parece
ser a abóbada de um forno!
CÉLIO GRÜNEWALD - Juiz de Fora

O céu, imensa invernada,
e os astros, peões risonhos,
vão repontando a manada
do meu rebanho de sonhos.
DORALICE GOMES DA ROSA - Porto Alegre

Quantas almas angustiadas
se perdem de déu em déu,
porque, entre tantas estradas,
uma apenas leva ao céu...
ELTON CARVALHO - RJ

Virando as costas ao céu,
do céu não te afastarás:
à frente - e na altura - incréu,
o mesmo céu tu verás!

Jamais viverá ao léu,
sem quando, como ou porquê,
aquele que crê num céu...
muito além do céu que vê!
JOÃO FREIRE FILHO - RJ  (duas trovas)

O céu flameja inclemente...
Seca os rios... Cresta o chão...
E a seca vai, lentamente,
crucificando o sertão!
JOUBERT DE ARAÚJO SILVA - RJ

São Francisco, "II Poverello",
quis Deus Pai, Nosso Senhor,
neste mundo fosse um elo
entre os Céus e o Trovador...
LACY JOSÉ RAYMUNDI - Garibaldi/RS

Contra o céu, a noite plasma
um velho templo em ruína,
como se fosse um fantasma
na solidão da colina.
VASQUES FILHO - Fortaleza
................................................................

CONCURSO  ESTADUAL = TEMA:  "BRISA"

1º lugar: LILA RICCIARDI FONTES - SP
Ela voltou!... Penso... Enfim!
Mas, a brisa me revela:
são as rosas do jardim,
usando o perfume dela!

2º lugar: ADÉLIA V. FERREIRA - SP
Brisa, que a ventos insanos
venceu, pelo seu dulçor,
é uma voz que, há dois mil anos,
ditou palavras de amor...

3º lugar: CLÓVIS MAIA - Ribeirão Preto
Quando a grade faz divisa
entre a brisa e a liberdade,
mais livre se mostra a brisa,
que passa através da grade.

4º lugar:  ADÉLIA V. FERREIRA
Sol e sombra na floresta,
e uma brisa, erguendo a mão,
rege os compassos d festa
de sombra e luz, pelo chão!

5º lugar: IZO GOLDMAN - SP
Se a voz do povo precisa
sussurrar por Liberdade,
cuidado, porque isto é brisa
que anuncia tempestade...

MENÇÕES   HONROSAS

Ajoelha-se a criança.
Sobre o altar, uma candeia.
E a chama, que à brisa dança,
não se apaga: mais clareia!
ADÉLIA V. FERREIRA

A fonte da vida orvalha
a tinta branca da idade
e a brisa do tempo a espalha
nos cabelos da saudade!
ANTONIO DE OLIVEIRA - Ribeirão Pires

A brisa da madrugada
entrando pela janela,
balança a rede bordada
de sonhos, dos sonhos dela...

A brisa do amor caindo
em minha rede do outono,
é primavera florindo
uma roseira sem dono!...
AURORA PIERRI ARTESE - SP  (duas trovas)

São harpas os arvoredos,
onde, qual um trovador,
a brisa, cheia de dedos,
toca sonats de amor...
DOMITILLA BORGES BELTRAME - SP

É nas tardes encantadas
de outono, que a brisa branda
reúne as folhas douradas
numa dourada ciranda...
IZO GOLDMAN

Partiste. E ao ver meu desgosto,
pensando que me consola,
a brisa seca em meu rosto
cada lágrima que rola!

Nosso romance agoniza
por não haver comunhão
do teu amor, feito brisa,
e o meu, que se fez tufão!
PEDRO ORNELLAS - SP  (duas trovas)

Mandei um recado urgente
pela brisa e, me desgosta
vê-la passar mansamente,
sem me dar sua resposta!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA - SP

Sabe, esta brisa envolvente,
lembra você, num instante:
surge assim, tão de repente...
tão de repente... distante!...
WANDISLEY GARCIA - Jales

MENÇÕES   ESPECIAIS

Envolvida num tormento
que jamais se tranquiliza,
minha vida é um pé-de-vento
sem a tua mão de brisa!
ANTONIO DE OLIVEIRA

A brisa da mocidade
passa rápida, impaciente,
jamais volta e sem piedade
carrega os sonhos da gente...
AURORA PIERRI ARTESE

A brisa, filha do vento
e da brutal ventania,
nasceu de um bom pensamento
que ambos tiveram um dia.
CIPRIANO FERREIRA GOMES - SP

A brisa é como se fosse
suspiros vindos do mar,
que o vento, de longe, trouxe,
dos que não podem voltar.
CLÓVIS MAIA

No velho banco da praça,
lembranças da mocidade...
E até na brisa que passa
eu sinto o odor da saudade!
ERCY MARIA MARQUES DE FARIA - Bauru

Traz a brisa, na verdade,
acalanto à minha porta:
- É a cantiga da saudade
de muita esperança morta!

Na brisa sinto, em verdade,
algo de um mundo tristonho:
- Traz-me o beijo da saudade...
- Traz-me o perfume de um sonho...
HELVÉCIO BARROS - Bauru  (duas trovas)

Se o segredo arde no peito
e a saudade é mais calor,
quero ser chama em teu leito
e ser brisa após o amor.
ILZA DAS NEVES - SP

Nosso amor sem esperança,
prelúdio desta saudade,
não foi mais que brisa mansa
prenunciando tempestade!
PEDRO ORNELLAS

Ao me ver apaixonado,
cede, a brisa, aos meus apelos:
leva a você meu recado,
ao beijar os seus cabelos!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA
........................................................................

CONCURSO  LOCAL = TEMA:  "VELEIRO"

Veleiro, que ao vento avanças,
a demandar outras plagas,
tu vais cheio de esperanças
sobre a esperança das vagas!
1º lugar: LAVÍNIO GOMES DE ALMEIDA

Contemplo o mar... E lembrando
os dias da mocidade,
parece-me ver, singrando,
o veleiro da saudade.
2º lugar: MARGARIDA MARIA FORTES DE MELLO

Vi teu veleiro partindo...
Logo após, do cais sombrio,
meu coração te seguindo
deixou-me o peito vazio...
3º lugar: SILVINA ANTUNES LEAL

Eu tenho sido um veleiro
nos mares da fantasia,
mas faço sempre o roteiro
levado pela poesia...
4º lugar: ROSÁLIA HELENA G. BONSEGNO

Espera por mim, veleiro,
sem minhas malas não partas...
leva o meu sonho primeiro
e as esperanças mais fartas!
5º lugar: CYNIRA  ANTUNES DE MOURA

MENÇÕES   HONROSAS

Da infância guardo a magia
do meu veleiro encantado.
Era nele que eu fugia
do mundo feio e pesado.
ÁUREA NAVARRO TURINI

Singra os mares desta vida
nosso amor, forte veleiro,
bate a procela atrevida
e chega ao porto, altaneiro.
BELLARMINO FRANCO

No mar revolto da vida,
sangrando o peito de dor,
sou teu veleiro, querida,
guiando as velas do amor!
CARMEN CERDEIRA VENTURA

Veleiro... em águas incertas,
leve e branco, à luz do luar,
és cisne de asas abertas,
como tentando voar!

Vai, meu veleiro de sonho...
vai buscar teu porto certo,
que esta vida é um mar tristonho,
mas, o mar é imenso e aberto!...
CAROLINA RAMOS  (duas trovas)

Dos meus sonhos, na distância,
o meu veleiro veloz,
navega ainda na infância,
numa casquinha de noz.

Mar revolto, se agitando,
lembra a vida em seu passar...
Sou veleiro flutuando,
me equilibrando no mar.
CIDOCA DA SILVA VELHO  (duas trovas)

Meu veleiro de brinquedo,
quando me lembro de ti,
volto ao passado, em segredo,
aos bons tempos de guri...
CLÁUDIO DE CÁPUA

Caronte, meu canoeiro,
tu levas, sem compaixão,
meu corpo - velho veleiro -
ao Porto da Solidão!
LAVÍNIO GOMES DE ALMEIDA

O teu veleiro enfim parte...
Junto ao molhe envolto em bruma,
vivo a angústia de esperar-te
sem esperança nenhuma...
SILVINA ANTUNES LEAL

MENÇÕES   ESPECIAIS

O veleiro vai passando
e o vento leva poesia
do marinheiro cantando
o mar com sua magia.
ÁUREA NAVARRO TURINI

No verde mar, o arrebol
reflete uma linda imagem,
o veleiro, à luz do sol,
é a brnca cor da paisagem.
BRITES QUARESMA FIGUEIREDO

Um veleiro... um mar bem manso...
a suave brisa... nós dosi...
e nesse doce balanço,
o agora vale o depois...
CAROLINA RAMOS

A brisa leve balança
o veleiro sobre o mar,
e traz de volta a esperança
na força do teu olhar!
CÉLIA S. OLIVEIRA

Meu veleiro enluarado,
vai na noite a deslizar,
refletido no espelhado
das águas mansas do mar.
CLÁUDIO DE CÁPUA

Alguém na praia te espera,
meu veleiro da esperança!
Com flores da primavera
e sorrisos de criança!

Veleiro singrando as águas,
qual cisne branco ele avança,
joga no mar minhas mágoas,
trazendo a minha esperança.
ENÉAS DE CASTRO  (duas trovas)

Meu amor vai implorando
a esmola do teu olhar,
como um veleiro singrando
as águas mansas do mar...
MARIA JOSÉ ARANHA DE REZENDE

Quando, então, o sol desmaia
e o vento assanha o coqueiro,
completa o quadro na praia,
se passa um barco veleiro.
MARIA NELSI SALES DIAS

Os meus veleiros bisonhos
partiram, mas não voltaram...
Sob o peso dos meus sonhos
todos eles naufragaram...
SILVINA ANTUNES LEAL
=====================================
NOTA: esta materia foi possível, graças à gentileza do trovador Arlindo Tadeu Hagen.