XIII JOGOS FLORAIS DE SANTOS - 2000

ÂMBITO NACIONAL = TEMA: “HISTÓRIA”
(COMISSÃO JULGADORA: Carolina Ramos, Cláudio de Cápua, Nilo Entholzer Ferreira e Silvina Antunes Leal – todos da UBT Santos)

TROVAS VENCEDORAS

Da seiva da Flor do Lácio
tirou CAMINHA o matiz
com que escreveu o prefácio
da História deste País! MARIA MADALENA FERREIRA – MAGÉ

O amor pátrio nos recorda
de um Mártir a eterna glória,
porque o laço de uma corda
não pode enforcar a História!
EDMAR JAPIASSÚ MAIA – RJ

Em Tiradentes, encanta
seu exemplo pessoal:
nem um nó preso à garganta
cala a voz de um Ideal.
SANDRO PEREIRA REBEL – NITERÓI

Cabral, ao plantar a Cruz,
semeou na praia ao léu,
cinco sementes de Luz,
colhidas na cruz do céu!
NEWTON MEYER AZEVEDO – POUSO ALEGRE

Santos Dumont é uma glória!
Com seu invento fecundo
valorizou Nossa História
perante a História do Mundo!
ALFREDO DE CASTRO POUSO ALEGRE

Ante a forca, feito prece,
Tiradentes repetia:
“Se mais dez vidas tivesse,
mais dez vidas eu daria!”
EDUARDO A. O. TOLEDO – POUSO ALEGRE

A Lei Áurea era na História!
Reina um silêncio nas salas...
Porém gritos de vitória
ecoam pelas senzalas!
JOSÉ TAVARES DE LIMA – JUIZ DE FORA

Virão tempos diferentes
em nossa história, e os vereis:
haverá mais Tiradentes
do que Silvérios dos Reis!
ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS – MARINGÁ

Os heróis inconfidentes
pugnavam pela verdade.
Houve um mártir: Tiradentes!...
Por um sonho: |Liberdade!...
CONCEIÇÃO PARREIRAS ABRITTA – BH

Ao ver os olhos parados
do Alferes vazando luz,
o algoz, sobre os seus, vexados,
enterrou mais o capuz...
WALDIR NEVES – RJ

MENÇÕES HONROSAS

Nosso Príncipe comprova,
pois é dele a grande glória,
que o mundo novo da Trova
também faz parte da História!...
RODOLPHO ABBUD – NOVA FRIBURGO

Nossa História principia
- e nisso afronto os ateus –
não no acaso, ou calmaria,
mas, sim, de um sopro de Deus!
ANTONIO CARLOS T. PINTO – BRASÍLIA

Lobato, pleno de glória,
deu com luta de pioneiro,
um legado à Nossa História:
o petróleo brasileiro!
ALFREDO DE CASTRO

Que surjam mais Isabéis
porque o racismo imoral
tem algemas mais cruéis
que as algemas de metal!
ARLINDO TADEU HAGEN – JUIZ DE FORA

Bandeirantes, nossa história
relata feitos passados,
rendemo-lhes hoje a glória
pelos sertões desbravados.
DALMIR PENNA BARRA DO PIRAÍ

A tristeza que me invade
e que nunca chega ao fim
é uma história de saudade
que existe dentro de mim...
MILTON NUNES LOUREIRO – NITERÓI

A Princesa teve pena
dos escravos: com bondade,
pôs o coração na pena,
dando a todos liberdade.
CÉLIA GUIMARÃES SANTANA – SETE LAGOAS

Sem almejar o poder,
e a defender a verdade,
ZUMBI preferiu morrer
lutando... por liberdade!
Mª LÚCIA DALOCE – BANDEIRANTES

Naquele Treze de Maio,
ao morrer a escravidão,
nascia o primeiro raio
de luz... numa escuridão!
ANTONIO CARLOS TEIXEIRA PINTO

A nossa história proibida
vence a mágoa e o preconceito
quando o amor da minha vida
vem aninhar-se em meu leito.
NÁDIA HUGUENIN – NOVA FRIBURGO

MENÇÕES ESPECIAIS

Que os sonhos de Tiradentes
em meus sonhos se derramem,
louvando os Inconfidentes:
- “Libertas quae será tamen”!!!
EDUARDO A. O. TOLEDO

Livrou-se o Brasil da canga,
o amor à pátria aflorou,
quando ao Grito do Ipiranga
toda a nação despertou!
ANTONIO CARLOS TEIXEIRA PINTO

Sem lutas, chegou à glória,
seu baluarte: paz e amor!...
O maior vulto da História
é Jesus – o Redentor.
LEDA MARIA BECHARA – JUIZ DE FORA

Ao dizer ao povo: Fico!
O nosso Pedro Primeiro
fê-lo mais forte, mais rico,
por ser enfim... Brasileiro!
FERNANDO CRUZ – RJ

De minha mãe lembro o solo
de uma cantiga só minha,
quando eu ouvia, em seu colo,
histórias da carochinha...
EDMAR JAPIASSÚ MAIA

No futuro, a grande História,
de um Brasil por excelência,
há de passar pela glória
de exterminar a violência!
HERMOCLYDES SIQUEIRA FRANCO – RJ

Aquela folha da história
que liga Osório a Caxias
é uma página de glória
de nossos melhores dias.
FERNANDO CRUZ

Por todo Brasil se estenda,
Braz Cubas, tua memória;
que cada santista aprenda
da Cidade, a bela História!
ALBA HELENA CORRÊA – NITERÓI

O amor venceu e ante a glória,
o destino ainda tem medo
de revelar nossa história
que há muito já foi segredo!...
CLENIR NEVES RIBEIRO – NOVA FRIBURGO

Brasil, seu descobrimento
se foi mesmo acidental,
não tira o merecimento
da ousadia de Cabral!
JOSÉ TAVARES DE LIMA

===================================

ÂMBITO ESTADUAL = TEMA: “ÍNDIO”
(COMISSÃO JULGADORA: Almerinda Liporage, Edmar Japiassú Maia, João Freire Filho, Lourdes Regina Gutbrod e Waldir Neves =UBT Rio de Janeiro)

TROVAS VENCEDORAS

Velhinho, à entrada da taba,
o índio, a olhar o infinito,
chora a raça que se acaba,
sem que ninguém lhe ouça o grito.
DOROTHY JANSSON MORETTI – SOROCABA

Amando, como em poemas,
o branco a índia entrelaça
e as Bartiras e as Moemas
dão vida a uma nova raça!
MARINA BRUNA – SP

Eram mais de seis milhões...
Trezentos mil é o que resta,
depois das perseguições...
Então, Brasil, por que festa?...
IZO GOLDMAN – SP

Sempre ao índio dedicado,
no rol das grandes pessoas,
seja no topo alistado
o nome de Vilas Boas!
PEDRO ORNELLAS – SP

Faz rufar, hoje, um tambor,
manda sinais de fumaça,
soletra a palavra A-M-O-R,
aos irmãos de tua raça!
DARLY O. BARROS – SP

MENÇÕES HONROSAS

Das águas, a Iara nua
surge ao clarão de Jaci.
É a sedução que flutua
no misticismo tupi.
SEBAS SUNDFELD – TAMBAÚ

Se a cobiça não acaba,
se o branco é quem dita a lei,
expulso da minha taba,
onde mais eu viverei?!...
DARLY O. BARROS

Chegaram os lusitanos...
porém, em dados reais,
se temos 500 anos,
os índios têm muito mais!
MARINA BRUNA

Áqueles que se apossaram
das imensas terras suas,
os índios que hoje restaram
pedem esmolas nas ruas...
ADÉLIA VICTÓRIA FERREIRA – SP

Em vão levantam-se brados
mas, sempre, a justiça emperra...
500 anos passados
e os índios não têm mais terra!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA – SP

MENÇÕES ESPECIAIS

Nas florestas de concreto,
de acinzentadas paisagens,
não há índios, nem afeto,
mas sobram seres selvagens!
SÉRGIO FERREIRA DA SILVA – SP

Peço, em gritos sufocados,
o resgate mais prudente:
nossos índios respeitados
com seus direitos de gente!
JOSÉ VALDEZ C. MOURA – PINDAMONHANGABA

Seja ao índio assegurado,
como bem manda a razão,
o seu direito sagrado
por um pedaço de chão!
ERCY Mª MARQUES DE FARIA – BAURU

Desnudo, à margem do rio,
índio pescava à vontade;
hoje vive a fome e frio,
à margem da sociedade.
SELMA PATTI SPINELLI – SP

Índio vivia contente,
livre como passarinho,
hoje, oprimido se sente
estranho no próprio ninho.
ÉLBEA PRISCILA DE S. E SILVA – CAÇAPAVA

==================================

ÂMBITO MUNICIPAL = TEMA: “PORTO”
(COMISSÃO JULGADORA: Carolina Ramos, Cynira Antunes de Moura, Nilo Entholzer Ferreira e Silvina Antunes Leal – todos da UBT Santos)

TROVAS VENCEDORAS

De solidão quase morto,
meu coração, sonhador,
é um batel de porto em porto,
na esperança de um amor.
MARIA NELSI SALES DIAS

Que no instante derradeiro,
ao fechar meus olhos nus,
ancore, enfim, meu veleiro
num porto pleno de luz...
AMÉRICO DEG’LIESPOSTI

Guardas, porto, e silencias
quando chegam ao teu cais,
solidões de calmarias...
destroços de vendavais.
NILO ENTHOLZER FERREIRA

De esperanças carregada,
velejou por tantos portos;
hoje retorna a jangada,
trazendo meus sonhos mortos.
Carolina Ramos,

 

Velho porto, as tuas águas,
sempre em triste marulhar,
parecem chorar as mágoas
de quem partiu, sem voltar... SILVINA ANTUNES
LEAL

MENÇÕES HONROSAS

Singrando mares de espinhos,
meu coração, quase morto,
encontrou nos teus carinhos
a segurança de um porto.
EDNA GALLO

Porto meu, tu sabes quantas
as mágoas que um peito vive:
nas partidas, que são tantas...
nas chegadas... que eu não tive.
NILO ENTHOLZER FERREIRA

Quando a tristeza me alcança
e teima em ficar comigo,
eu me ancoro na esperança,
pois é sempre um porto amigo.
ILZE DE ARRUDA CAMARGO

Varre os mares dessa vida
a mais pungente verdade:
não há porto sem partida...
nem partida... sem saudade!...
NILO ENTHOLZER FERREIRA

Meu barco... um dia lancei-o
enfrentando o mar bravio.
Partiu de sonhos tão cheio
e ao porto voltou vazio...
SILVINA ANTUNES LEAL

MENÇÕES ESPECIAIS

O porto pulsa, fecundo,
nas chegadas e partidas,
nutrindo artérias do mundo,
dando vida a tantas vidas!
CAROLINA RAMOS

O meu coração cansado,
nas andanças da emoção,
hoje está triste, ancorado,
no porto da solidão.
EDNA GALLO

Em noite alta... madrugada,
contemplo a lua contrito:
- Barca de prata aportada
nos segredos do infinito.
CLÁUDIO DE CÁPUA

Era o mar incalmo e escuro,
quando eu, sem temer fracassos,
ao buscar porto seguro,
fui ancorar nos teus braços!
CAROLINA RAMOS

Eu sou como o cais vazio...
Um porto de despedida,
o corroído navio...
sem chegada... nem partida!
ANA MARIA GUERRISE GOUVEIA

=============================