Edmar Japiassú Maia, além de "Magnífico Trovador" em ambos os gêneros, brinda-nos também com sonetos da mais fina lavra.

A  IMAGEM  DO  TEMPO

 
 
 O olhar é opaco, a face contraída,
há flacidez nas pálpebras cansadas,
a boca é seca, a tez esmaecida,
encimada por mechas desgrenhadas...
 
 
Todo o peso das culpas desta vida
repousa sobre as costas encurvadas.
O farto ventre, a carga mais sentida,
castiga as frágeis pernas arqueadas...
 
 
De confidentes restam a bengala
e uma imagem sagrada, lá na sala:
-Fiéis acompanhantes da velhice!
 
 
Velhice de incertezas e mistério,
que o tempo vai legando a seu critério...
e a mim agora impôs...sem que eu pedisse!