EU AMO

Podem classificar de qualquer jeito
Este meu jeito de sentir amor.
Chamem-no de franqueza, despudor,
Chamem-no de virtude, ou de defeito,

Seja o modo correto ou imperfeito,
Quer provoque alegria ou traga dor,
Eu jamais calarei o meu amor:
Não quero sufocá-lo no meu peito.

É. Sei que muitos chamam de exagero
Amar assim como amo – em desespero,
E confessá-lo assim – a todo instante.

– O amor – dizem –, não deves proclamá-lo...
Mas falo sempre dele e, não obstante,
Eu amo muito mais do que lhes falo.

INTENÇÕES

Sim. Amarei. Mas tomarei cuidado:
Não hei de amar apaixonadamente.
Antes: Não amarei, serei amado,
Pois assim viverei tranquilamente.

Não vença o amor, que já me tem cegado
Fazendo-me sofrer seguidamente.
Nunca mais ficarei enamorado:
Terei meu coração independente.

Desta vez não me vou deixar prender,
Mas prenderei. Assim, quando eu perder
O amor de agora, não serei logrado.

Não amarei: serei amado. Assim
Não terei sofrimento algum, assim...
- Tudo em vão: já estou apaixonado.

CONTRASTES

Porque estou longe dela, dentro em mim,
só há cinzentas nuvens de procela,
céus carrancudos, temporais sem fim,
tristezas, lutos e a lembrança dela.

Por que a manhã é tão bonita assim?
o sol dourando as árvores, e aquela
aragem morna, e o orvalho no capim...
Por que estás, natureza, assim tão bela?

Por que o bando de pássaros insiste
em vir trinar aqui alegremente
a mais bela e clara canção que existe?

Não sei quem age mais erradamente:
se sou eu, por estar assim tão triste,
se a natureza, por estar contente.