HERANÇA POÉTICA

Colaboração de Maria Thereza Cavalheiro
Trovas sobre “CARTAS” - dezembro 2016

 

O hábito de escrever cartas e cartões vem de longe. Mas esse costume foi sendo superado com o tempo, até chegar aos níveis atuais, em que a vertiginosidade da comunicação se faz pelo telefone, pelo celular, pelo e mail...

Mas ainda há uma tradição que não se extinguiu de todo: na época natalina, os cartões voltam a ter o seu significado. E hoje em dia há muitos realmente criativos, como os realizados por artistas da Associação Pintores com a Boca e os Pés, pessoas portadoras de necessidades especiais, numa prova do que o esforço e a arte podem conseguir.

Quem faz a entrega dessas amoráveis mensagens é um profissional que, pelo seu valor e diligência, é lembrado com uma data especial, pois 25 de janeiro é o “Dia do Carteiro”. Tal homenagem tem raízes no ano de 1633, quando foi criado o Correio-Mor da Monarquia Portuguesa, nesse mesmo dia e mês. O estafeta, então, levava duas mochilas: uma para entrega e outra para receber cartas dos interessados em mandá-las para o correio.

Vejamos o que poetas de diferentes épocas, já desaparecidos, escreveram sobre o agradável hábito da epistolografia:

 
Tua carta inesperada
tantas lembranças me trouxe,
que eu vivi de um quase nada,
um quase tudo tão doce!...
ANALICE FEITOZA DE LIMA
 
Nestas horas de sol-posto,
na saudade mais atroz,
nas fotos, beijo-te o rosto;
nas cartas, ouço-te a voz!
VASQUES FILHO
 
Correio!... Escutei à porta!...
Meu coração palpitou...
E minha esperança morta
depressa ressuscitou.
LEOPOLDINA DIAS SARAIVA
 
Minha fé é grande, imensa,
quando leio, com fervor,
a bíblia de minha crença
- as tuas cartas de amor...
ADALBERTO DUTRA DE RESENDE
 
A carta bem redigida,
carinhosa e inteligente,
é lenitivo, na vida,
sabe Deus... de quanta gente!
HELENARA
 
Uma lágrima rolou
na carta que te escrevi
e sua mancha provou
que não me esqueço de ti.
SONIA Mª. DITZEL MARTELO
 
A chuva embala quem sofre.
Quando chove como agora,
a gente abre um velho cofre,
lê velhas cartas... e chora...
JOÃO RANGEL COELHO
 
Numa carta, quando ocorre
transbordar muita emoção,
há uma lágrima que escorre
no ponto de exclamação!
JESY BARBOSA
 
Carta de afeto relida,
de quem nos quis tanto bem,
traz um pedaço de vida,
na saudade que contém.
HELVÉCIO BARROS
 
Das tuas mentiras farta
eu te chamei - embusteiro;
mas dormi com tua carta
debaixo do travesseiro.
COLOMBINA
 
Esta carta te escrevi
com sangue de minhas veias...
espero, ao menos, de ti
que, com lágrimas, as leias!
OSCAR SOARES VIEIRA
 
Na despedida, com pressa,
escrever me prometeste.
Esqueceste da promessa,
ou apenas me esqueceste?
J. G. DE ARAÚJO JORGE
 
Tua mensagem não veio...
E eu, sem mágoa, sem revolta,
ponho a culpa no correio,
penso, ainda, em tua volta.
THEREZA COSTA VAL
 
Tuas cartas... que saudade!
Quando as tenho em minha mão,
olho as linhas... e, em verdade,
quem as lê é o coração.
BAPTISTA NUNES
 
Vou te escrever... prometias...
e, desta jura refém,
espero dias e dias
mas a mensagem não vem...
MARINA BRUNA
 
Beijo a carta que te mando,
pois assim, com o mesmo enlevo,
continuarei te beijando
enquanto lês o que escrevo...
SEBAS SUNDFELD
 
Tuas cartas vou relendo
comovida... devagar...
Paro a leitura, tremendo,
porque começo a chorar...
Mª. SYLVIA DE CERQUEIRA LEITE
 
Talvez a memória alcance,
nas lembranças sempre fartas,
a beleza do romance,
que ficou em nossas cartas!
AUGUSTO CLÁUDIO FERREIRA
 
“Esquece-me...” - eu lhe escrevia.
“Já não te amo... Andei pensando...”
- E a carta não te dizia
que eu escrevi soluçando!
JOUBERT DE ARAÚJO SILVA
 
Se o carteiro se anuncia
e a tua carta me traz,
se é noite, penso que é dia,
se há pranto... o riso o desfaz!
ALBERTINA MOREIRA PEDRO