1º TEMA:  "CENTENÁRIO DE UBERLÂNDIA"

VENCEDORA

Uberlândia, em teus Cem Anos
de luta e avanço febril,
teus filhos sentem, ufanos,
que Cem valeram por Mil!
ADÉLIA VICTÓRIA FERREIRA - SP

05 MENÇÕES HONROSAS  (por ordem alfabética)

Sucesso cada vez mais,
Uberlândia, parabéns!...
Pelos teus Jogos Florais,
pelo progresso que tens!
ARMINDO SANTOS TEODÓSIO - Brumadinho/MG

Uberlândia, chão mineiro,
de teus braços no acalanto,
meu coração bandoleiro
foi preso por teu encanto!
JOSÉ MESSIAS BRAZ - Pouso Alegre/MG

"Terra Fértil!", que ventura!
Uberlândia, colossal!
Tu és o berço da cultura,
grande orgulho nacional!
OSVALDO GONÇALO DO CARMO - Pedro Leopoldo/MG

Uberlândia, com amor,
neste seu aniversário,
desabrocha como flor,
seu primeiro Centenário.
PAULO CARVALHO DE OLIVEIRA - Uberlândia

Quem tiver inspiração,
bela trova faça-a e mande-a,
numa justa exaltação
aos Cem Anos de Uberlândia!
WILSON MONTEMÓR - Resende/RJ
..................................................

2º TEMA:  TEMÁTICA LIVRE
(todas as relações de premiados aparecem em ordem alfabética, dentro de cada segmento)

VENCEDORES

Pobre criança sem dono!
Abraçada à escuridão,
suga o leite do abandono
no seio da solidão!
ARLINDO TADEU HAGEN - Juiz de Fora

Tão frágil era o tecido
dos meus desejos risonhos,
que, nas dobras do franzido,
esgarçaram-se meus sonhos.
AURORA PIERRE ARTESE - SP

Tu te dás com tal calor,
vibrando a cada momento,
que eu chego a pensar que o amor
exige, também, talento...

Li, sem surpresa ou espanto,
a tua resposta: NÃO!
Não esperava, no entanto,
o ponto de exclamação.
CARLOS GUIMARÃES - RJ  (duas trovas)

Meu coração, não te cansas,
nos teus impulsos ciganos,
de alimentar esperanças
com sobras de desenganos!
CAROLINA RAMOS - Santos

Os olhos destas crianças,
arregalados e puros,
são câmaras de esperanças
fotografando futuros!...
LACY JOSÉ RAYMUNDI - Garibaldi/RS

20 MENÇÕES  HONROSAS:

Quando o céu fica cinzento
e o dia parece triste,
mergulho em mim mesma e tento
ver o azul que ali persiste.
ALBA CHRISTINA CAMPOS NETTO - SP

Se rolei na minha estrada,
tropeçando entre os escombros,
não foi a cruz tão pesada...
foi fraqueza dos meus ombros!

Foi nossa vida em resumo
dois contrassensos flagrantes:
nossos pés, no mesmo rumo...
nossas almas, tão distantes!
ALMERINDA LIPORAGE - RJ  (duas trovas)

Com pedaços deste ocaso
e "caquinhos" de alvoradas,
reconstruo um novo vaso,
transbordando madrugadas.
ANTONIO BISPO DOS SANTOS - Niterói

Pobre menino assustado,
Pixote... brilhou natela,
um pirilampo dourado
que se apagou na favela...
AURORA PIERRE ARTESE

Cantas com tal harmonia,
que me vem a ideia louca
de beber a melodia
na taça da tua boca.
CARLOS GUIMARÃES

Sempre a tudo dando o contra,
por mais que agradar se tente,
há gente que não se encontra
e até deencontra a gente!
CAROLINA RAMOS

Quando a noite dobra a esquina,
se arrastando pelo chão,
a madrugada em faxina
vem varrer a escuridão!
DOMITILLA BORGES BELTRAME 

Na mesa as taças e o vinho,
no quarto a rede estendida;
na sala um sonho sozinho
chora a promessa esquecida!...
HEDDA DE MORAIS CARVALHO - Nova Friburgo

Romaria de esperanças;
peregrinos às centenas...
- Mulheres, homens, crianças...
rogando por suas penas!
HELOÍSA ZANCONATO PINTO - Juiz de Fora

A vida passou por mim,
com rapidez sem medida...
E eu, triste, senti que assim
também passei minha vida!...
HERMOCLYDES SIQUEIRA FRANCO - RJ

Eva, lá no paraíso,
com terno olhar sedutor,
pega a maçã,num sorriso,
faz de Adão um pecador.
ILZE DE ARRUDA CAMARGO - Santos

Teu retrato colorido,
num sorriso meigo e franco,
torna menos dolorido
meu presente... em preto e branco...
JOÃO FREIRE FILHO - RJ

Encostei-te no meu peito,
meu caro amigo violão...
Quis cantar... não houve jeito...
Choramos juntos então.
LEOPOLDINA DIAS SARAIVA - RJ

Tua mão mais atrevida,
numa carícia sem voz,
dá mais vida a tanta vida
que existe dentro de nós.
MARISOL - Teresópolis

Trovador, és mais que um louco;
no que fazes te condenas:
pões um mundo e mais um pouco
em quatro versos apenas.
PEDRO BAPTISTA FONTES - RJ

No mundo sem soluções,
nestes tempos inclementes,
não vivem populações...
existem sobreviventes!
SEBAS SUNDFELD - Tambaú

O abandono amarga tanto...
e o fel que dele se prova,
é tanto, que a dor do pranto
não cabe aqui nesta trova.
THALMA TAVARES - SP

No carnaval dos tristonhos
eu sou mais um dos palhaços,
buscando restos de sonhos
no turbilhão dos fracassos!
VASQUES FILHO - Fortaleza

Se é progresso o desamor
que marca as coisas modernas,
então,meu Deus, se assim for,
eu nem saí das cavernas.
VANDA FAGUNDES QUEIROZ - Curitiba
======================================
NOTA = esse material foi uma gentil contribuição do "Magnífico Trovador" IZO GOLDMAN, da UBT São Paulo/SP