CONCURSOS DA UBT SÃO PAULO – VERSÃO 2011
(todas as listas aparecem em ordem alfabética)
 
ÂMBITO NACIONAL = TEMA: “SAL”
 
VENCEDORES
 
A vida é drama brutal                           
para a criança sem nome,                   
em que a lágrima de sal                      
tempera o prato da fome!                    
 
Numa lágrima salgada
eis a vida resumida,
nas emoções da chegada
e nas dores da partida!
Adilson Maia – Niterói/RJ               (duas trovas)
 
O rancor é um sal barato
que ao longo do tempo oxida
todas as faces do prato
no qual provamos a vida!
ANTONIO DE OLIVEIRA - Rio Claro/SP
 
Por um contraste cruel,
de razões mal explicadas,
dos teus olhos cor de mel
descem lágrimas salgadas!
ARLINDO TADEU HAGEN - BH
 
Seria oposto e fatal
porém tão bom se assim fosse:
teu amor... um mar de sal
e o meu... um riacho doce!
CLENIR NEVES RIBEIRO - Nova Friburgo/RJ
 
Por maior que seja o mal,
sê persistente na sina.
Uma montanha de sal
não resiste à chuva fina.
DULCÍDIO B. M. SOBRINHO - Juiz de Fora
 
Na festa plena de encanto
um brinde, um beijo, um anel...
E em vez de sal, no meu pranto
impera o gosto do mel!
ÉLEN DE NOVAIS FÉLIX - Niterói
 
Numa paixão imortal,
minhas tristezas eu venço,
beijando o sabor de sal
que deixaste no meu lenço!
HERMOCLYDES SIQUEIRA FRANCO - Rio de Janeiro
 
Por minha culpa partiste;
e o sal do pranto, sem dó,
agora, torna mais triste
o triste viver de um só...
JOSÉ TAVARES DE LIMA - Juiz de Fora
 
Deixei-te... Agora eu lamento
a decisão da partida,
pois vi que o arrependimento
põe gosto de sal na vida!
THEREZA COSTA VAL -BH
 
Depois de tua partida                          
por desavença banal,                          
o que foi a doce vida                           
hoje é uma vida sem sal!                    
 
Mar agitado e bravio
foi teu amor sem ternura,
só me deixando um vazio
e as salinas da amargura.
WANDA DE PAULA MOURTHÉ – BH     (duas trovas)
 
 
TROVADORES DE PORTUGAL (mesmo tema):
 
No auge duma tormenta
com teu corpo divinal,
no teu olhar há pimenta
e os beijos sabem a sal.
ANTONIO JOSÉ BARRADAS BARROSO - Parede
 
O teu riso é o sal da vida
que tempera as emoções.
Traz de volta a fé perdida
e do pranto faz canções.
DOMINGOS FREIRE CARDOSO - Ílhavo
 
Se o ciúme é o sal do amor
como muita gente diz...
Só provoca dissabor
e não faz ninguém feliz.
EMÍLIA PEÑALBA DE A. ESTEVES - Porto
 
Lábios doces e dourados
que a sul o sol faz tostar,
regalam beijos salgados
com vento vindo do mar.
VICTOR MANUEL CAPELA BATISTA - Barreiro
///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
CONCURSO ASSINANTES DO “INFORMATIVO”
 
Tema: DUNA - VENCEDORES
 
As minhas mãos, em desvelos,
vão surfando, sem receios,
nas ondas dos teus cabelos
rumo às dunas dos teus seios.
ARLINDO TADEU HAGEN - Belo Horizonte
 
Paciência e lentidão
constroem coisas perfeitas.
Reparem: de grão em grão
aquelas dunas são feitas!
CÉLIA GUIMARÃES SANTANA – Sete Lagoas – MG
 
Minha vida é um grão de areia
em duna perto do mar
enfrentando a maré cheia
que consigo a quer levar...
DOMINGOS FREIRE CARDOSO -  Ílhavo/Portugal
 
Durante o sono do Sol,                           
enquanto a Lua desperta,                       
tomo a duna por lençol                           
e as estrelas por coberta...                     
 
Ondulantes areais,
ao sabor do vento incerto,
as dunas são sensuais
odaliscas do deserto...
ÉLBÉA PRISCILA DE SOUSA E SILVA - Caçapava  SP    (duas trovas)
 
Brincando, o vento travesso                                               
pelas areias se espraia,
enquanto muda o endereço                    
das brancas dunas da praia!                   
 
O mar num longo suspiro
inveja a serenidade
da brisa que faz seu giro
pelas dunas da saudade.
ÉLEN DE NOVAIS FÉLIX – Niterói             (duas trovas)
 
As dunas que, à beira-mar,                     
tanto encantam nossa vista,             
por certo, querem provar                        
que o vento é também artista...              
 
No deserto desta vida,
sozinho e de amor sedento,
sou triste duna esquecida,
que espera o afago de um vento!...
JOSÉ TAVARES DE LIMA – Juiz de Fora              (duas trovas)
 
Já na planície, alquebrada,
transcendo tempo e distância:
procuro a duna encantada
dos sonhos da minha infância!
JOSÉ VALDEZ DE CASTRO MOURA – Pindamonhangaba-SP
 
Paixões – eu digo e sustento −
pela inconstância da forma
são dunas de sentimento
que o tempo varre e transforma!...
MARIA HELENA DE OLIVEIRA COSTA – Ponta Grossa - PR
 
Sob a luz da lua cheia,                          
as dunas fazem lembrar                        
lençóis corando na areia                       
que o vento enruga ao passar!
            
No deserto, eu penso, absorto
ante as dunas em cadeia:
são as ondas de um mar morto,
que o vento esculpe na areia!!!
 
Às vezes, grandes fortunas
têm uma vida fugaz:
são semelhantes a dunas,
que o vento faz... e desfaz!...
MARIA MADALENA FERREIRA – Magé/RJ             (três trovas)
 
Nas miragens de um deserto
em que vivo, hoje, os meus dias,
sei que os sonhos que acoberto
são dunas de fantasias...
THEREZA COSTA VAL - Belo Horizonte
 
 Aquela duna imponente,
que na paisagem se alteia,
tem na origem, certamente,
minúsculos grãos de areia.
VANDA FAGUNDES QUEIROZ - Curitiba - PR
 
Teu amor, em nossa história,
inconstante, me atormenta,
feito duna migratória
que o vento não sedimenta...
WANDA DE PAULA MOURTHÉ - Belo Horizonte - MG
                          ......................................................................................
 
CONCURSO ASSOCIADOS DA SEÇÃO SÃO PAULO - SP
 
TROVADORES “VETERANOS” – TEMA: “FORNALHA”
 
Tua carícia não falha
e ao fogo de amor me induz,
pois tua mão é fornalha
que me esquenta à meia luz.
ANALICE FEITOZA DE LIMA
 
Deserto, paisagens tortas,
fornalha de inferno e frágua,
as dunas são ondas mortas,
neste mar que não tem água.
CAMPOS SALES
 
O sol parece fornalha
queimando tudo o que existe.
O chão, seco, a fome espalha...
mas, nordestino, resiste!
HÉRON PATRÍCIO
 
Eu vi queimar os encantos
dos sonhos deste menino
e transformá-los em prantos
na fornalha do destino.
JOSÉ GILBERTO GASPAR
 
O teu adeus é um castigo,
mas, me acalma esta verdade:
a esperança é o meu abrigo
na fornalha da saudade!...
MARILÚCIA REZENDE
 
O sol que vai se deitando,                       
neste ocaso que me alcança,                 
é uma fornalha queimando                     
os meus sonhos de esperança.              
 
Tu foste embora e, ao partir,
me deixaste só, sem dono,
com minha alma a se extinguir
na fornalha do abandono...
MARINA BRUNA            (duas trovas)
 
Uma fornalha é meu leito
e, ao amar-te sem pudor,
embora ele seja estreito,
estreita mais nosso amor!..
MARISA RODRIGUES FONTALVA
 
Quando a paixão é marcada                     
por possessão, se resume                        
numa rosa incinerada                               
na fornalha do ciúme...                             
 
Na fornalha deste amor,
fiz um cristal se quebrar,
ao derramar meu calor
no gelo do teu olhar...
RENATA PACCOLA            (duas trovas)
 
A vida é um fogo de palha
e o tempo se mostra algoz,
mais parece uma fornalha
onde a palha...  somos nós! ...
ROBERTO TCHEPELENTYKY
 
Na fornalha, em que me abraso,
 você finge que não vê
seu desprezo não faz caso
do meu amor... por você!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA
                             .................................................................................
 
“NOVOS TROVADORES” - TEMA: FORNALHA
 
Se for teste, meu Senhor,
o viver nesta fornalha,
tu verás que a fé e o amor
de um nordestino não falha!
J.B. Xavier
 
Eu lembro a roça, a fornalha,                     
coisa comum no sertão:                             
água bebida na talha                                 
e a fornalha assando o pão                       
 
Joguei rosas na fornalha
e o vento, por brincadeira,
vendo as cinzas, as espalha
perfumando a praça inteira!
Waldir Gerson Granzotti           (duas trovas)
 
Tendo fé, não sou ruim,
na caridade eu me esforço,
pois quem é mau tem por fim
a fornalha do remorso!
Yedda Ramos Maia Patrício
----------------------------------------------------------------------
 
CONCURSO HUMORÍSTICO - TEMA: FORRÓ
 
PARA TODOS OS ASSOCIADOS DA SEÇÃO SÃO PAULO
 
A Raimunda, minha prima,                   
lá no forró faz sucesso;                        
é que o povo adora a rima                   
que a prima tem em excesso.              
 
Fazê forró? Dexo não.
- Dotô, meu povo é pacato.
- E se tivé confusão?
- Si tivé, dexa que eu mato.
CAMPOS SALES           (duas trovas)
 
No forró, cachaça à mão,
a morena, dando trela
e o sanfoneiro, doidão,
atrás do molejo dela...
DARLY O. BARROS
 
O forró, diz meu amigo,                          
me esbraseia e deixa quente:                 
o esfrega-esfrega de umbigo                  
é um perfeito antecedente.                       
 
O forró ia animado;
de briga, nenhum perigo...
- Gostoso, que só pecado:
Era umbigo contra umbigo!...
HÉRON PATRÍCIO           (duas trovas)
 
- Quando saiu... a maninha                  
foi com  mãinha ou foi só?                    
- Sei não! Mas voltou mãinha,              
quando chegou do forró!                       
 
Severino tem oitenta!
Raimundinha, vinte e dois!
Mas, quando o velhinho esquenta,
fica o forró pra depois!...
JAIME PINA DA SILVEIRA           (duas trovas)
 
No forró do bate-fundo,
Manezinho cai na dança
e, naquele fim de mundo,
enche o mundo de criança...!
MARIA DE LOURDES PAIVA REIS
 
Com sensual rebolado,
a morena, vejam só,
faz o forró assanhado
virar um forrobodó!!!
MARILÚCIA REZENDE
 
No forró, tanto dançava
a decotada senhora
que o que dentro antes pulava
pulou pro lado de fora.
MARINA BRUNA
 
No forró dança sozinho
aquele gordo, e se queixa
que não dança agarradinho
porque a barriga não deixa!
MARTA MARIA O. PAES DE BARROS
 
Falhou, marcando o compasso                
do forró... mas, se esforçou                     
e quando acertou seu passo,                   
seu marca-passo... falhou!!!                     
 
São dois, no espaço de um só
de agarradinhos que estão...
e a moça, após o forró,
teve direito à pensão!
THEREZINHA DIEGUEZ BRISOLLA          (duas trovas)