http://www.falandodetrova.com.br/viasacraemtrovas

VIA-SACRA EM TROVAS 

 (Obs.: Algumas das trovas constam do livrete de concurso realizado em Atibaia – SP)

 

 

INTRODUÇÃO:

 

Naqueles tempos de antanho,

de escribas e fariseus,

um homem do meu tamanho

tinha o tamanho de Deus!

(Durval Mendonça)

 

PRIMEIRA ESTAÇÃO: Jesus condenado à morte

 

“Eis o homem”, diz Pilatos.

E aquele povo sem luz,

no mais insano dos atos,

responde em gritos: “À cruz!”

(Newton Vieira)

 

SEGUNDA ESTAÇÃO: Jesus com a cruz às costas

 

Por amor à humanidade,

inteiro deu-se Jesus,

e, a desprezar-lhe a bondade,

os homens deram-lhe a cruz.

(Carolina Ramos)

 

TERCEIRA ESTAÇÃO:  Jesus cai pela primeira vez

 

Ante o povo, ante os soldados,

exausto, ao peso da cruz

que leva os nossos pecados,

cai sobre a terra Jesus.

(Amélia Tomás)

 

QUARTA ESTAÇÃO: Jesus encontra sua Mãe

 

Quando, no Dia dos Passos,

Maria encontrou Jesus,

Ele não foi aos seus braços

e, sim, aos braços da cruz.

(Pe. Celso de Carvalho)

 

 QUINTA ESTAÇÃO: Jesus recebe o auxílio do Cireneu

 

Jesus, levando sozinho

a cruz que o mundo lhe deu,

recebe, no seu caminho,

o auxílio do Cireneu.

(Aloísio Alves da Costa)

 

SEXTA ESTAÇÃO: Verônica enxuga a face de Jesus

 

Verônica, amargurada,

limpando o rosto ao Senhor,

tem, por milagre, estampada,

a imagem viva da dor.

(José Coelho de Babo)

 

SÉTIMA ESTAÇÃO: Jesus cai pela segunda vez

 

Fitando os cruéis algozes,

com seu semblante sereno,

com sofrimentos atrozes,

cai de novo o Nazareno.

(Josefina Santos Barbosa)

  

OITAVA ESTAÇÃO: Jesus consola as mulheres de Jerusalém

 

Há mulheres soluçando,

e Vós, Senhor, fatigado,

dais conselhos, consolando,

sem que sejais consolado.

(Carlos Guimarães)

 

NONA ESTAÇÃO: Jesus cai pela terceira vez

 

Cansaço e dor o consomem;

o sangue seus olhos veda...

Jesus não resiste – é homem –

e sofre a terceira queda.

(Romeu Gonçalves da Silva)

 

DÉCIMA ESTAÇÃO: Jesus despojado de suas vestes

 

Entre dores e amarguras,

chega Jesus desolado;

mãos sacrílegas, impuras,

despem seu corpo cansado.

(José Lucas Filho)

  

DÉCIMA PRIMEIRA ESTAÇÃO: Jesus pregado à cruz

 

Ante o delírio das gentes

famintas de pão e luz,

um par de mãos inocentes

deixou-se cravar na cruz.

(Mariza da Conceição Pereira)

 

DÉCIMA SEGUNDA ESTAÇÃO: Jesus morre na cruz

 

Sexta-feira da Paixão...

lento suspiro na cruz....

para exangue um coração,

um Deus expira – Jesus.

(Conceição Parreiras Abritta)

 

DÉCIMA TERCEIRA ESTAÇÃO: Jesus descido da cruz

 

Eis ao colo de Maria,

morto, frio, os membros lassos,

o mesmo Jesus que, um dia,

Maria embalou nos braços.

(Lucy Sother Alencar da Rocha)

 

DÉCIMA QUARTA ESTAÇÃO: Jesus sepultado

 

No sepulcro, eis que descansa

o amado filho de Deus.

Lenho, espinho, cravo e lança

traduzem pecados meus.

(Vera Vargas)

 

DÉCIMA QUINTA ESTAÇÃO: Jesus ressurge dos mortos

 

Num sepulcro abandonao,

ao sol do terceiro dia,

no Cristo Ressuscitado

é que tudo principia.

(Célia Guimarães Santana)

 

Primeiro, o drama no monte...

depois, a tumba vazia

e, lá no azul do horizonte,

o Sol do terceiro dia...

(Newton Vieira)

===================================================

NEWTON VIEIRA, jovem valor curvelense, é um dos mais lídimos representantes da cultura mineira.

Comentar

Filtered HTML

  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <blockquote> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.