WANDA DE PAULA MOURTHÉ é uma das mais talentosas trovadoras de Minas Gerais. Nascida em Miraí no dia 15 de julho e residente em Belo Horizonte.  Integrante da UBT local. Premiadíssima em concursos nacionais de trovas. Profissionalmente é  licenciada em Letras pela UFMG e pela Faculdade de Letras e Ciências Humanas da Universidade de Argel. Professora de Português na "Université de la Sorbonne Nouvelle", ostentando, portanto, um vasto currículo internacional.

Meu diário! Em tuas folhas
morrem desejos sem fim...
Pago o preço das escolhas
que outros fizeram por mim.

A realidade transponho               (7º lugar em Petrópolis - 2003)
e vivo em mundo ideal...
Quero as mentiras do sonho,
não as da vida real!

 

Não importam a censura
e o louvor da sociedade:
procuro viver à altura
da minha própria verdade!

Gente que escolhe sem tino
as propostas da existência,              (M. Especial Nova Friburgo 2008)
quando erra, culpa o destino
pela própria incompetência.

Forçada a escolhas na vida
- teatro que não domino                         (São Paulo - 2006)
fui marionete movida
pelos cordéis do destino!

Partiu... nem disse o motivo,                   (São Paulo - 2006)
e eu, da saudade à mercê,
estou vivo, mas não vivo,
pois não vivo sem você.

Minha insensata paixão
passou – transpondo barreiras –              (M. Especial Nova Friburgo - 2006)
das fronteiras da ilusão
para a ilusão sem fronteiras...

Tanto amor e afinidade                 (3º lugar em Pouso Alegre - 2004)
entre nós dois, já se vê,
que perdi a identidade:
eu sou eu... ou sou você?

De um amor que é só miragem
finjo agora ter o assédio,
para escapar da engrenagem
dessa moenda que é o tédio.

Olho a rua... a noite avança,
tudo adormece ao luar...
Dorme até minha esperança,
pois cansou de te esperar!

Volto à capela em que, um dia
me esperaste ao pé do altar...
E hoje a saudade, em magia,
me espera no teu lugar...

Meu coração se comove
por te sentir ao meu lado,
quando a saudade se move
entre as sombras do passado!...

Esta angústia indefinida,
que sempre à noite me invade,
são sombras próprias da vida
ou disfarces da saudade?

Sem oásis, retirante,
na aridez do teu sertão,
única sombra flagrante
é tua sombra no chão.

Envolta em brilhos e cores,
a natureza se esmera
para, em delírio de flores,
eclodir na primavera.

Alegrias coleciono
neste meu tardio amor.
É na colheita do outono
que os frutos têm mais sabor.

Que sempre em mim se concentre
esta união que bendigo:
filho nascendo do ventre,
coração gerando o amigo!

Ao seu filho, desde cedo,
ministre a boa lição:
em vez de armas de brinquedo,
ponha um livro em sua mão!

Uma estrela cintilante,
os Reis, a Belém conduz.
Maria, mais fulgurante,
deu à luz... a própria Luz!

O teu silêncio me afronta;
nem breve mensagem veio,
mas meu amor faz de conta
que a culpa é só do correio.

Se a voz do orgulho me impele,
sempre, a esquecê-lo de vez,
a paixão, à flor da pele,
impõe silêncio à altivez.

Lembranças de amor desfeito...
silêncio em horas tardias,
pois tua ausência em meu leito
dorme onde outrora dormias.

Não prometo, em nossa história,
meu amor por toda a vida,
porque a vida é transitória,
e meu amor, sem medida!...

Tua partida me fala
do teu desprezo... um açoite!
E a saudade não se cala
nem na calada da noite...

Partiste...e meu desencanto,
vendo ruir a ilusão,
escorre em gotas de pranto,
orvalhando a solidão.

 

     HUMORÍSTICAS

Diz a galinha-d´angola:
-Meu marido é mesmo um saco!       (3º lugar em Nova Friburgo - 2012)
Quando tiro a camisola,
logo ele grita:- “Tô fraco!”

O general de pijama
fracassa em sua ofensiva...
Pensa,saudoso,na cama:
-Quem me dera estar "na ativa"!

- Calor aqui é normal
escreve o luso aos parentes.       (Menção Honrosa Garibaldi/RS  2002)
- Além de ser tropical,
é o país dos “panos quentes”!

Na noite do seu casório,
sendo um noivo muito antigo,       (Menção Especial em Pouso Alegre - 2002)
usou até suspensório,
mas não sustentou o artigo...

Que lua-de-mel aquela!
Faltou luz, foi um sufoco:             (M. Honrosa Ribeirão Preto, 2000)
a noiva queria a vela,
o noivo só tinha um toco!...

Arma um barulho no "ninho"
ao ver que a cara-metade
curte um som com o vizinho
em "alta-infidelidade!"

Na feira de antiguidade,
ao ancião combalido
perguntam, não sem maldade:
-Vem comprar ou ser vendido?

Minha mulher é nanica,
mas na cama é colossal:             (3º lugar em Pouso Alegre, 2006)
ronca mais do que cuíca
na terça de carnaval!...

O meu marido é carteiro;
porém bem cedo aprendeu
que no lar, o tempo inteiro,
quem dá as cartas sou eu.